operacao varejo 2 pmsc contra comercio ilegal de cigarros 1
77 mil maços de cigarros apreendidos pela PM em SC - Foto: PMSC/Divulgação/CSC

Durante esta quinta-feira (11/7) a Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC) deflagrou a Operação Varejo II em todo o estado. A ação, que teve início às 8h da manhã prosseguiu até às 20h, resultou na apreensão de 77 mil maços de cigarros.

Ao todo, 1.267 policiais foram empenhados. Além disso, foram utilizadas 629 viaturas, sendo 579 automóveis, 48 motocicletas e duas aeronaves. No total, 693 estabelecimentos comerciais foram abordados.

O principal objetivo foi, além de realizar a apreensão de maços de cigarros de origem ilícita, analisar o que foi recolhido em valores reais, estimando o quanto representaria este confisco para a arrecadação de tributos do estado.

Publicidade

Os números finais da operação apresentam a prisão de 100 pessoas, apreensão de 77 mil maços de cigarros, R$ 462 mil reais, 32 kg de maconha, 37 comprimidos de ecstasy, quatro armas de fogo. A PM estima que em sonegação de impostos, foram fraudados R$ 115 mil em tributos. Todos os presos e materiais apreendidos foram conduzidos às delegacias de polícia federal das respectivas regiões de Santa Catarina.

Operação Varejo 2

Destaque para as palavras do tenente-coronel Evandro de Andrade Fraga, chefe da Seção de Operações da PMSC (SECOP), que enfatizou que “o objetivo planejado será efetivamente alcançado na operação”. Ele ainda afirma que o “contrabando de cigarros vem sido realizado por organizações criminosas, e a missão da instituição é atingir o centro de operação das mesmas”.

Segundo a PM, Santa Catarina contabiliza consequentes prejuízos causados pelos cigarros contrabandeados que circulam no Estado. Levantamento da Secretaria da Fazenda aponta para uma perda de aproximadamente R$ 7 milhões mensais na arrecadação, que totalizam um montante anual de R$ 84 milhões.

Segundo dados levantados pela PMSC, 48% dos cigarros que circulam são clandestinos, representando R$ 175 milhões não arrecadados. Apesar da repressão dessa ilegalidade, o mercado ilícito de cigarros no Brasil continua a se expandir exponencialmente, impulsionado principalmente, pela significativa diferença de preço entre os produtos. De acordo com levantamentos, 50% dos produtos são contrabandeados do Paraguai, e ainda, 5% são produzidos clandestinamente no Brasil.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here