Alunos sentados ao redor de uma mesa olham para um caderno em que a professora ponta em um desenho com o dedo
Professora Ana Caroline orienta alunos do 6º e 7º no contraturno - Foto: PMSJ/Divulgação

A Robótica ainda provoca curiosidade em quem ouve sobre o assunto e, para as crianças e adolescentes da rede municipal de ensino de São José, o tema se tornou matéria no contra turno escolar. Máquinas inteligentes e cálculos avançados representam algo além da compreensão para a maioria das pessoas. Mas os alunos do 6° ano e 7° ano do Centro Educacional Municipal (CEM) Maria Hortência Pereira Furtado estão descobrindo que a utilização da Robótica pode ser simples e atrativa.

Com o objetivo de levar os estudantes a descobrirem o funcionamento da tecnologia de uma maneira divertida, 12 estudantes do 6° ano e 7° ano do ensino fundamental foram contemplados com projeto de “Robótica”, composto por uma série de atividades distribuídas em aulas semanais com duração média de uma hora e meia, no contra turno do ensino regular.

Em cada aula são apresentados temas relacionados ao cotidiano do aluno com cenários desafiadores, que estimulam a busca de soluções por meio da construção e programação de mecanismos robóticos gerados a partir do KIT EV3 – tecnologia em Robótica Educacional.

Publicidade

A professora de Robótica, Ana Caroline de Paula de Souza, da Robomind, explica que o foco no trabalho em equipe e na divisão de tarefas une algumas responsabilidades, tais como o Coder, relacionado à programação do robô; o Coach, quem coordena a equipe e fica responsável pelo kit de robótica, e o Builder, quem constrói o robô. “Aqui usamos cálculos de física e matemática, aproximando o aluno de suas disciplinas de sala de aula”, comenta Ana Caroline.

O projeto, com base na Robótica voltada para a Educação, tem o intuito de discutir o conhecimento científico adquirido nas aulas e contribuir para que o aluno conheça, utilize e domine novas técnicas. Unindo tecnologia, ciências e criatividade, a proposta é dar oportunidade para que desenvolvam o pensamento crítico e uma profissão para o futuro.

Para a diretora do CEM Maria Hortência, Alessandra Terezinha B. Crozeta, reunir um grupo de alunos do 6° ano e 7° ano é um desafio e uma grande satisfação. “Os educandos ficam atentos e sempre questionam sobre o novo. A criatividade é essencial para montar robôs e esses ensinamentos serão levados para a vida, pois a Robótica não é um bicho de sete cabeças”, reforça Alessandra. O Centro Educacional Municipal (CEM) Maria Hortência Pereira Furtado fica localizado no bairro Potecas e atende a um total de 228 alunos do ensino fundamental.

Publicidade
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here