Governador e presidente do Badesc em coletiva de imprensa
A linha de crédito contará com R$ 50 milhões. Foto: Cristiano Estrela/Secom/Divulgação

A Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina (Badesc) fez as primeiras liberações no início desta semana da Linha Badesc Emergencial, que possui subsídio do Governo do Estado. A linha de crédito contará com R$ 50 milhões e, desse total, aproximadamente R$ 500 mil já estão com as empresas. A liberação de recursos ocorreu oito dias após a publicação de uma lei que autoriza o subsídio econômico desse recurso emergencial. A notícia foi dada pelo governador Carlos Moisés em um pronunciamento no fim da tarde desta sexta-feira, 15.

Segundo o governador, a liberação do crédito é fundamental para a retomada da economia em meio à crise provocada pela pandemia. Ele também lembrou que Santa Catarina tem a menor taxa de desemprego do país, conforme divulgado pelo IBGE nesta sexta-feira.

“Nosso foco está na manutenção dos empregos. Em um momento como esse, é fundamental cuidar das pessoas. O Estado precisa estar presente. A qualidade do empreendedor catarinense é muito alta e tenho certeza que Santa Catarina vai sair mais forte dessa pandemia”, afirma Moisés.

Publicidade

O presidente do Badesc, Eduardo Alexandre Corrêa de Machado, lembrou que as primeiras liberações de crédito são importantes, porém a instituição já trabalha na ampliação dos valores disponibilizados.

Eduardo destaca que em quase duas semanas foram enviados 52 contratos (R$ 5,9 milhões); 114 propostas estão em fase de contratação (R$ 13,1 milhões); 181 solicitações estão em análise (R$ 17,7 milhões) e outras 159 propostas, que totalizam R$ 17,4 milhões, necessitam ajustes por parte dos empresários para prosseguimento. Os indeferimentos somam 82 propostas que não cumpriram regras da linha.

Fomento ao turismo

Além dos R$ 50 milhões da Linha Badesc Emergencial, a agência de fomento trabalha em parceria com a Santur na disponibilização de R$ 20 milhões da linha Fungetur, do Ministério do Turismo. Esses recursos estão sendo oferecidos aos empresários que estão na fila de espera, seguindo a ordem de envio da documentação.

O Badesc negocia o aumento dos recursos com fontes internacionais e ampliação do limite com BNDES, Ministério do Turismo e Finep para atendimento a um maior número de empreendedores.

Renegociações e postergação

Desde o início da pandemia da Covid-19, o Badesc também anunciou a postergação (interrupção dos pagamentos), em até seis meses, de parcelas de contratos para seus clientes. Apuração realizada no mês de abril apontou 156 empresas atendidas, representando impacto de R$ 7,1 milhões. Com este cenário, estima-se que o impacto ao longo dos próximos seis meses será superior a R$ 35 milhões.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here