Colegiado sem indicação política será anunciado antes da eleição, afirma Merisio

merisio fala com um microfone em uma mão e gesticula com outra
Merisio quer nomes técnicos para 10 pastas em eventual governo - Foto: PSD-SC/Divulgação

Para demonstrar que vai montar uma equipe técnica, sem indicações políticas ou distribuição de cotas para partidos, Gelson Merisio (PSD) anuncia até o final do primeiro turno todos os 10 secretários que farão parte de seu eventual governo estadual.

A afirmação foi feita pelo candidato da coligação “Aqui é Trabalho” neste sábado (13/10) durante um debate do 2º turno, organizado pela Rede Peperi de Comunicação, em São Miguel do Oeste.

Depois de divulgar os nomes do promotor Odair Tramontin e do delegado federal Ivan Ziollkowski para a Secretaria de Segurança Pública, Merisio afirmou que também anunciaria nesta segunda-feira (15/10) o nome para a Secretaria de Estado da Infraestrutura.

Publicidade

“Até o final do segundo turno vamos informar quem serão os 10 secretários de Estado da nossa gestão, que será absolutamente técnica, sem influência política ou indicação partidária”, garantiu Merisio.

Atualmente, o Estado conta com 15 secretarias centrais e três secretarias executivas. “Quando eu compus a coligação, um ano antes da eleição, eu deixei claro que acabaria com a geografia das urnas, até porque não teriam mais cargos para serem loteados. Vamos extinguir 1,2 mil dos 1,4 mil cargos comissionados existentes atualmente. Vamos extinguir todas as agências de desenvolvimento regionais. Não vamos ter nenhuma indicação política, os 40 deputados permanecerão lá na Assembleia e os principais secretários serão indicados ainda antes da eleição, nomes técnicos, preparados para o desafio que é administrar o Estado de Santa Catarina”, destacou.

Merisio ponderou que “a participação dos partidos políticos e do parlamentar é sempre importante, porque representam uma parcela da população. Mas a participação deles no governo vai ser no campo de ideias, das convicções”. O candidato reforçou sua disposição em promover uma remodelação na filosofia de administrar a máquina pública catarinense, investindo em tecnologia para fazer com que o Estado possa melhorar na prestação de serviços básicos, como saúde, educação e segurança.

O PSL, do candidato opositor Comandante Moisés, também lançou nota nesta segunda afirmando que ainda não há nomes para eventual governo.

Publicidade