Com estoques baixos, bancos de leite materno pedem mais doações

O leite materno auxilia no desenvolvimento de bebês e é importante para crianças com baixo peso em UTIs e maternidades

Com a pandemia de Covid-19, alguns bancos de leite materno de Santa Catarina registraram queda de 50% nos estoques. O leite materno auxilia no desenvolvimento de bebês e é importante para crianças com baixo peso em UTIs e maternidades. Nesse cenário, os bancos de leite humano fazem o alerta e buscam estimular o retorno das doação.

Santa Catarina conta com 13 bancos de leite materno e nove postos de coleta. A representante da Associação Brasileira de Aleitamento Materno (Abam), enfermeira Sônia Silva, faz um apelo para que as mães continuem doando leite durante a pandemia de Covid-19, período em que muitos bancos enfrentam redução nos estoques. A enfermeira-chefe do banco de leite humano do Hospital Regional de São José, Ângela Huber, confirmou a diminuição na doação de leite e que a entidade está desenvolvendo uma campanha para aumentar o número de doadoras. “Tínhamos uma média de 15 a 20 doadoras, mas atualmente, devido à pandemia, o número é de dez doadoras.”

pessoa com luva cirúrgica segura pote de vidro cheio de leite em frente a prateleiras de freezer cheias de outros potes com leite
Doação precisa ser em pote de vidro esterilizado com tampa de plástico; hospital orienta procedimento e faz a coleta – Elza Fiúza/EBC

O deputado estadual Fernando Krelling (MDB), autor da lei que insere no calendário de datas e festividades de Santa Catarina o Maio Branco, destaca que antes de ser distribuído o leite coletado nos bancos passa por um rigoroso controle de qualidade e é fornecido de acordo com as necessidades de cada criança. “Assim como nos bancos de sangue, as doações de leite humano caíram significativamente, fazendo com que os estoques praticamente zerassem. Este é mais um reflexo da pandemia da Covid-19.” Ainda segundo o parlamentar, um único litro de leite materno pode servir para alimentar até dez bebês.

Publicidade

O leite materno ajuda no desenvolvimento das crianças, já que “possui todos os nutrientes e anticorpos que colaboram para a imunidade dos bebês”, como explica o pediatra Cecim El Achkar, um dos idealizadores do Congresso Catarinense de Aleitamento Materno. Por isso a doação é importante e pode ser realizada por qualquer mulher que amamenta, desde que saudável e sem uso de medicamento que interfira na amamentação.

Para doar, basta procurar um banco de leite humano próximo ou ligar para o disque saúde, pelo número de telefone 136. Quando os dados de saúde e hábitos de vida são aprovados, a equipe do banco entra em contato com a doadora e agenda uma visita à residência para o dia seguinte. A partir disso, a doadora recebe, semanalmente, a visita da equipe de coleta para a retirada do leite ordenhado e ganha novos frascos vazios e esterilizados.

Publicidade