Conselho da UFSC determina lista tríplice sem “furões”

    Escolha do novo reitor depende de aval do presidente

    votação no cun da ufsc
    Votação do Conselho Universitário da UFSC da lista tríplice para reitoria - Mayra Warren/Agecom/Divulgação/CSC

    O Conselho Universitário (Cun) da UFSC esteve em votação nesta segunda-feira (2/5) para determinar os três nomes que serão enviados ao Ministério da Educação para escolha definitiva, que deve se dar pelo presidente, Jair Bolsonaro. Nenhum dos “furões” que tentaram figurar na lista conseguiu votos suficientes.

    Após Irineu Manoel de Souza ter sido escolhido novo reitor na votação informal com cerca de 56% dos votos, o rito do processo exige que o Cun vote em uma lista tríplice quais serão os nomes que serão enviados para o crivo federal. Porém, nos últimos dias outros postulantes ao cargo, que não concorreram nas eleições, tentaram atravessar o caminho democrático colocando seus nomes para escolha sem respaldo da comunidade acadêmica.

    Na manhã desta segunda a votação da lista tríplice resultou, para o cargo de reitor:

    Publicidade

    Irineu Manoel de Souza: 35 votos
    Dilceane Carraro: 11 votos
    Miriam Furtado Hartung: 11 votos.

    O primeiro a votar foi o atual reitor, Ubaldo Cesar Balthazar, seguido da vice-reitora Cátia Regina de Carvalho Pinto. Em seguida votaram os demais conselheiros, que podiam indicar apenas um nome para os cargos de reitor(a) e um nome para o cargo de vice. Houve manifestação da plateia quando foi chamado para votar o professor Irineu Manoel de Souza, o mais votado para o cargo de reitor na consulta informal. “Intervenção é coisa do passado; reitor eleito é reitor empossado”, gritaram os estudantes presentes no auditório.

    professores irineu e joana célia
    Professores Irineu e Joana Célia foram os mais votados no Cun – Foto: Mayra Warren/Agecom/Divulgação/CSC

    Para o cargo de vice-reitor foram indicados a professora Joana Célia dos Passos, com 37 votos, o professor Jacques Mick (11 votos) e a professora Miriam Pillar Grossi (11 votos).

    O professor Luiz Fernando Ferreira, ex-controlador geral do Estado, e que não se candidatou na consulta à comunidade, teve 3 votos e não entrou na lista para o MEC.

    As listas tríplices serão agora enviadas nesta terça-feira (3) para o Governo Federal, que deverá nomear o novo reitor.

    Publicidade