constancio neto psc sao jose- foto albano aquino csc
Constâncio Krummel Maciel Neto, presidente PSC (Partido Social Cristão) em São José - Foto: Albano Aquino/CSC

Com 10 mil votos e um vereador eleito em 2016, o PSC de São José chega em 2020, ano das eleições municipais, projetando boas condições para entrar de novo na briga com chance de eleger pelo menos dois a três vereadores, como calcula o presidente do partido em São José, Constâncio Krummel Maciel Neto, que também é presidente da SJ Prev desde 2013, sistema municipal previdenciário, que recebeu com R$ 70 milhões negativos e no momento tem R$ 400 milhões em caixa

Nesta entrevista ao Correio de Santa Catarina, na sequência de uma série com dirigentes partidários em São José, ele avalia a presença da sigla no município onde faz parte da base de apoio à prefeita Adeliana Dal Pont (PSD).

Correio – O PSC já está se preparando para a eleição de 2020?

Publicidade

Constâncio Neto – Começamos essa preparação na última eleição, quando, na coligação, fizemos mais de 10 mil votos, elegemos um vereador do PSC, o Túlio Maciel. O PSC é o partido em São José que mais compartilhou o mandato de vereador – quatro suplentes assumiram por um período o mandato. Significa que valorizamos todos, não apenas o mais votado. Isso é um trabalho que construímos lá atrás e deu certo. Com essa atitude, conseguimos agregar mais pessoas ao projeto para 2020. A nossa nominata para a próxima eleição vai aumentar, quando não é mais possível coligação na proporcional. Teremos candidatos fortes, além do pessoal que já compôs na última eleição. V árias lideranças estão nos procurando para construir um projeto diferente, um projeto novo para a cidade. Correio – O sr. será candidato? Constâncio Neto – No caso de eu ser candidato (a vereador) o Tulio abriria mão para não ter uma disputa em família.

Correio – Qual a tendência de coligações na majoritária?

Constâncio Neto – Hoje somos base da prefeita (Adeliana Dal Pont). Ainda não sabemos quais são os candidatos (a prefeito), porque não foram definidos nomes.

Correio – O PSC não tem candidato a prefeito, quem vai apoiar?

Constâncio Neto – Possivelmente vamos apoiar um candidato, a não ser que surja uma surpresa entre esses novos quadros.

Correio – Algum possível candidato já procurou o partido para coligação na majoritária?

Constâncio Neto – Ainda não.

Correio – Qual a bandeira do PSC para 2020?

Constâncio Neto – O nosso partido não tem nenhum registro em nenhuma das esferas se envolvendo em ilegalidades (corrupção). Também somos um partido que apoia as reformas, as mudanças e vamos percorrer esse caminho em 2020, ou seja, apoiar mudanças, reformas, algumas questões no âmbito federal, municipal, desburocratizações, leis que favoreçam o setor dos empresários, que facilitem o empreendedorismo, a geração de empregos. Atuaremos com esse foco, seguindo as orientações do partido a nível nacional.

Correio – Qual o reflexo da aprovação da reforma previdenciária no município?

Constâncio Neto – Do jeito que a reforma passou no primeiro turno na Câmara dos Deputados, estados e municípios estão excluídos. Isso quer dizer que diretamente não afeta nossas regras atuais, a não ser que incluam essa pauta no Senado.

Correio – Isso seria bom?

Constâncio Neto – A maioria dos municípios tem um déficit atuarial, não tem dinheiro suficiente em caixa para pagamento futuro. Em São José equalizamos esse déficit com a segregaçãode massas, projeto do Executivo aprovado pela Câmara de Vereadores, mas no futuro ainda pode haver um déficit atuarial, que seria essa inclusão dos estados e municípios, o que favoreceria a diminuição desse déficit atuarial.

“Estamos aguardando uma posição oficial da prefeita”

Correio – No cenário de candidatos a prefeito em São José em 2020 – fala-se em Fernando Anselmo, Orvino, Clonny, Michel, Amauri dos Projetos, Mário Marcondes, Neri, Hélio Costa -, o PSC ainda não manifestou preferências?

Constâncio Neto – Nós, no PSC, nos reunimos uma vez por mês e estamos aguardando o desdobramento desses nomes. Nas duas últimas eleições estivemos com a Adeliana, vamos aguardar a definição desses nomes e um posicionamento oficial também da prefeita para ver. Aí é uma decisão de partido. A decisão é sempre em conjunto e nunca isolada. Após a definição dos nomes, o partido vai decidir se apoia ou se terá candidato próprio.

Correio – A tendência é apoiar quem a prefeita Adeliana indicar?

Constâncio Neto – Seria natural, mas não é, de forma alguma, questão fechada, depende dos nomes. Avaliamos com uma certa cautela em razão de que o PSC, na formatação que estamos fazendo para a próxima eleição, pretende fazer uma bancada de no mínimo dois ou três vereadores, se nossas conversas de quem quer vir para o projeto se concretizarem. É a nossa meta. Na eleição em 2016 quase fizemos dois vereadores, mas por 36 votos não conseguimos.

Correio – Há conversas de que o PSC seria esvaziado com uma possível adesão à UDN, que poderá renascer. Tem procedência?

Constâncio Neto – Não é um movimento meu nem da direção do partido. Pode ter algumas especulações quanto a isso, talvez de alguns précandidatos, mas não há orientação do partido.

“Administração Adeliana vai bem, mas precisa desburocratizar algumas questões”

Correio – Como o sr. vê a administração Adeliana Dal Pont? Quais os grandes acertos e os grandes erros?

Constâncio Neto – A administração Adeliana Dal Pont está bem pautada na gestão fiscal, na gestão de recursos. É uma administração que mostra resultado em várias áreas. Acho que pode avançar mais na questão de desburocratizar algumas questões. De alguma forma perdemos algumas empresas para outros municípios em razão de alguns benefícios que esses municípios ofereceram. Nossa ideia é conseguir manter as empresas que temos, trazer mais empresas com benefícios, desburocratizar dentro da legalidade e transparência. Acredito que nesse ponto poderia evoluir um pouquinho mais. Nas outras áreas é uma boa administração.

Correio – Qual a agenda do partido até 2020?

Constâncio Neto – O PSC vai fazer diversos encontros com nossos pré-candidatos, está programado a partir de setembro até dezembro deste ano e nos primeiros meses do ano que vem. Vamos promover cursos para os pré-candidatos, alguns eventos, desde oratória até questões de política básica, legislação eleitoral, como se portar nas redes sociais. Temos um cronograma e nomes dos palestrantes para esses eventos e isso vai fazer com que se agreguem novas lideranças ao projeto. O PSC tem 500 filiados em São José, que deverão dobrar e o comando estadual é com o deputado Jair Miotto.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here