Deputado Bruno Souza (Esq.), relator da CPI, afirmou que empresas que tentarem obstruir aquisição de documentos terão mandados de busca e apreensão para entregar os arquivos - Foto: Eduardo G. de Oliveira/Agência AL
Deputado Bruno Souza (Esq.), relator da CPI, afirmou que empresas que tentarem obstruir aquisição de documentos terão mandados de busca e apreensão para entregar os arquivos - Foto: Eduardo G. de Oliveira/Agência AL

A CPI da Ponte Hercílio Luz já recebeu 7,8 mil páginas de documentos coletados junto às várias empresas e órgãos públicos relacionados às obras de restauração da estrutura. O número consta do relatório de progresso apresentado pelo relator da CPI, deputado Bruno Souza (PSB), nesta quinta-feira (11), mostrando o que já foi feito por sua equipe até o dia 10 de abril e quais serão os próximos passos da investigação. “Tem toda a abordagem que a comissão fez, todos os documentos que abordamos, o que analisamos, qual vai ser a linha de atuação e quais as perspectivas de objetivo com o que nós encontramos até agora”, explicou o deputado.

De acordo com o relatório de Souza, profissionais das áreas jurídica, contábil e de engenharia estão dando suporte às investigações. “Os documentos estão chegando e nós estamos descobrindo documentos novos, o que é muito importante. Documentos que não haviam sido analisados até então e não haviam sido citados em outras investigações, nem pelo Ministério Público ou Tribunal de Contas do Estado.”

O documento entregue pelo relator à CPI destaca que os focos da equipe de investigação estão em estudar a documentação para determinar as pessoas mais relevantes, os pontos obscuros ou controversos que demandem esclarecimentos e também em concluir as perguntas que são feitas aos depoentes.

Publicidade

Apesar do grande volume já registrado, o deputado também relatou que a CPI está encontrando algumas dificuldades em obter documentos, principalmente de empresas, que não têm cumprido prazos. “Mas nós aprovamos na reunião passada que se não cumprirem o prazo, iremos usar de busca e apreensão para conseguir esta documentação. Ninguém vai obstruir o trabalho da CPI”, garantiu Bruno Souza

Na reunião desta quinta-feira, a comissão aprovou requerimento do deputado João Amin (PP) que convida e autoriza dois engenheiros para auxiliar na análise da documentação coletada pela CPI: Roberto de Oliveira, coordenador do Conselho Metropolitano para o Desenvolvimento da Grande Florianópolis, e Carlos Alberto Riederer, que já colabora com o deputado nestes assuntos.

No dia 29 de maio Bruno Souza apresenta relatório preliminar, ficando o relatório final previsto para 24 de junho.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here