close em cascas de ostras
Ricardo Wolffenbüttel / Secom SC

Os cultivos de ostras e mexilhões na Barra do Aririú, em Palhoça, e na Ponta de Baixo, em São José, foram interditados pela Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca nesta quarta-feira (15/1). De acordo com o órgão, o motivo é o excesso de Escherichia coli acima dos limites permitidos, também conhecida como coliformes fecais.

A presença dessa bactéria na água é o que mede a balneabilidade de um local. De acordo com dados do Ima (Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina), que faz as análises, a Praia de Guararema, ponto de aferição na Ponta de Baixo, está atualmente própria para banho, com medida de 134 E.Coli /100 ml em 14/1. Na Barra do Aririú o Ima não faz análise da balneabilidade.

Segundo a secretaria, a presença excessiva de coliformes fecais nessas localidades é decorrente da combinação de chuvas e do maior número de pessoas visitando o litoral catarinense. Também a situação de interdição não se aplica a outras 37 localidades produtivas. Nos locais interditados existem cerca de 15 maricultores de um total de 500 em todo o estado.

Publicidade

A Cidasc segue com as coletas para monitoramento das áreas de produção de moluscos interditadas e arredores. Os resultados dessas análises definirão a liberação ou a manutenção da interdição das áreas afetadas. Os locais de produção interditados serão liberados após dois resultados consecutivos demonstrando que os moluscos estão aptos para o consumo.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here