Detentos vão confeccionar uniformes de estudantes da rede pública estadual

    O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e a Secretaria de Estado de Administração Prisional Socioeducativa (SAP) oferecerão cursos profissionalizantes para 2.150 detentos das penitenciárias de São José do Cedro, São Miguel do Oeste, Chapecó, São Cristóvão do Sul, Itajaí e Criciúma.

    O convênio foi firmado na segunda-feira (9/8), no Governo do Estado, e as capacitações serão realizadas nos próximos 90 dias. A proposta da SAP é instalar 18 galpões industriais para o trabalho dos apenados e a primeira atividade será a confecção de uniformes para estudantes da rede pública estadual.

    O maior contingente participará do curso de costura industrial – básico, que tem duração de 60 horas, e será ministrado a 1.775 detentos de todas as penitenciárias envolvidas. O curso de auxiliar de logística, com 20 horas, será ministrado a 200 sentenciados de Itajaí. Com 16 horas de duração, o curso de manutenção de máquinas costura – básico – beneficiará 100 apenados de Chapecó, Itajaí, São Cristóvão do Sul e Criciúma. Já o curso de noções de corte e serigrafia, que tem duração de oito horas, será ministrado em Chapecó para 75 participantes.

    Publicidade

    O investimento do governo na ação, incluindo a construção de galpões e a compra do maquinário, passa de R$ 30 milhões. Para o Senai, serão destinados quase R$ 1,1 milhão para as atividades de capacitação de 81 turmas.

    O presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar, enalteceu o cunho social “extremamente elevado” e a satisfação de do Senai em participar do projeto. Já o governador, Carlos Moisés, observou que a ressocialização é o grande objetivo da pena. “É o único caminho”, afirmou, lembrando que ao concluir sua condenação, o apenado precisa estar recuperado para retornar à sociedade.

    Quase 5 mil detentos trabalham no sistema prisional catarinense, o que representa cerca de 20% do total. Essa cifra já chegou a 31%, porém houve uma redução por conta da pandemia. A expectativa do Governo do Estado é que as primeiras turmas sejam capacitadas até o começo de outubro. O trabalho nos presídios permite a redução da pena.

    Publicidade