cabeceiras ponte hercilio luz florianopolis lado ilha
Na cabeceira da ilha, objetivo é facilitar o acesso dos ônibus entre a ponte e o Ticen - Imagem: PMF/Divulgação/CSC

A Prefeitura de Florianópolis pretende até o final do ano preparar o sistema viário das cabeceiras da Ponte Hercílio Luz para a passagem do transporte coletivo e bicicletas. A reinauguração da ponte está prevista para 30 de dezembro.

Recentemente foi lançado o edital de licitação para as obras do projeto, com prazo de quatro meses de execução, ao custo máximo de R$ 3.709.793,91. Segundo a prefeitura esta é uma primeira etapa, que irá melhorar o sistema viário tanto no lado continental, quanto insular.

Ao todo dez ruas serão modificadas — três no Continente, sete no Centro — a fim de possibilitar alterações de trânsito, facilitando o acesso dos ônibus entre a ponte e o Ticen (Terminal Integrado do Centro). Inicialmente serão 16 linhas de ônibus que passarão na Ponte Hercílio Luz.

Cabeceira da ilha
Publicidade

Na cabeceira insular da Ponte Hercílio Luz será feito um boulevard, com a elevação da pista com pavimento em blocos intertravados (paver) no nível do passeio, reformulado o desenho da Praça José Mauro da Costa Ortiga na confluência da Rua Felipe Schmidt com a Rua Jornalista Assis Chateaubriand, configurando uma rótula, e ampliado o sistema cicloviário, composto por ciclovias e ciclofaixas. O boulevard com pista elevada englobará toda a Alameda Adolfo Konder e parte da Rua Jornalista Assis Chateaubriand.

Para facilitar o deslocamento dos ônibus entre a Ponte Hercílio Luz e o Ticen será feita ainda melhoria no raio de acesso entre a Rua Francisco Tolentino e a Rua Pedro Ivo, viabilizando o giro do transporte coletivo para a entrada no terminal. Já o trajeto dos ônibus provenientes da ponte com destino à Beira-Mar Norte se dará pela Rua Jornalista Assis Chateaubriand seguida da Rua Felipe Schmidt.

Quanto ao sistema cicloviário, as novidades ficam por conta da implantação de ciclovia ao longo de toda a Alameda Adolfo Konder, e Rua Jornalista Assis Chateaubriand no trecho da Rua Felipe Schmidt para a Avenida Jornalista Rubens de Arruda Ramos, bem como na própria Beira-Mar Norte, passando por dentro dos bolsões de estacionamento, até a Rua Arno Hoeschl.

Cabeceira do continente

Na cabeceira continental da Ponte Hercílio Luz será criado uma interseção entre a saída da ponte, a Rua Quatorze de Julho, a Avenida Ivo Silveira e a Rua Fúlvio Aducci, de modo a organizar o fluxo de ônibus e outros veículos no entorno da entrada e saída da ligação com a Ilha. Também será feito um boulevard com pista elevada na alça que liga a Ponte Hercílio Luz com a Avenida Ivo Silveira, passando pelo viaduto sobre a Rua Fúlvio Aducci, que passará por reforço e ampliação de sua estrutura.

cabeceiras ponte hercilio luz florianopolis lado continente
Cabeceira continental terá boulevard, ciclovias interligadas e também melhores acessos dos ônibus à Ponte Hercílio Luz – Imagem: PMF/Divulgação/CSC

Outras etapas previstas visam dar continuidade à execução de melhorias com revitalização urbanística do entorno das cabeceiras, criação de novas rotas cicloviárias e de espaços para embarque e desembarque de passageiros do transporte público, por exemplo.

16 linhas de ônibus na Ponte Hercílio Luz

A engenharia de tráfego aponta que apenas quatro ônibus sobre a Ponte Hercílio Luz levariam a mesma quantidade de pessoas que, se transportadas por automóveis, ocupariam toda a sua extensão. Estar totalmente ocupada por veículos não significa que uma determinada via é eficiente. Pelo contrário, normalmente indica a existência de um problema. O caso da Ponte Hercílio Luz parece ser adequado para a implementação de um novo modelo, onde o transporte coletivo será associado aos modais ativos – pedestre e bicicletas.

Se as linhas de ônibus do continente transportassem em média 8 pessoas a mais, o volume total dos automóveis nas pontes Pedro Ivo Campos e Colombo Salles cairia 20%. É claro que isso também vai gerar uma demanda maior por mais horários de ônibus, visto que em horários de pico há superlotação.

Em um primeiro momento, então, a prefeitura pretende transferir 16 linhas para a Hercílio Luz: Corredor Continente, Capoeiras, Aracy Vaz Callado, Balneário, Coloninha, Itaguaçu, Abraão, Promorar via Ivo Silveira, Monte Cristo, Vila/Promorar, Morro do Geraldo, Vila Aparecida, Bairro de Fátima, Jardim Atlântico – UFSC, Capoeiras – UFSC e Abraão – UFSC.

As 16 linhas correspondem ao transporte realizado por 30.000 pessoas, ou 20% das pessoas transportadas por veículos que passam hoje pelas pontes.

O site Ponte Viva oferece mais detalhes sobre o projeto.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here