Dois projetos compõem modelo de concessão do terminal Rita Maria, que deve ocorrer em novembro

Dois projetos foram selecionados para servirem de base para a concessão da Rodoviária Rita Maria, em Florianópolis. O projeto objetiva modernizar e qualificar o espaço.

O governo escolheu parte do projeto elaborado pela Sinart Ltda, da Bahia, que opera mais de 35 estações rodoviárias em todo o Brasil, e outro da Vallya Advisors, que desenvolve trabalhos para aeroportos pertencentes à União.

terminal rita maria visto de cima com alterações propostas nos projetos de concessão; ponte e continente ao fundo
Rodoviária da capital passará para iniciativa privada no próximo ano – SIE/Divulgação/CSC

Da proposta da Sinart serão aproveitados os estudos de mercado, econômico-financeiros, de engenharia e de arquitetura (parte operacional e de alterações físicas). Já a análise jurídica e a fundamentação legal serão baseados nos relatórios da Vallya Advisors.

Publicidade

“Acabamos optando pelo melhor e mais adequado de cada projeto para a nossa realidade. Esse é mais um passo para que essa ferramenta tão importante tenha todo o seu potencial aproveitado. Estamos mais próximos de entregar, aos catarinenses, um Rita Maria arrojado, moderno e ainda mais funcional”, destaca o secretário de Estado da Infraestrutura, Thiago Vieira.

Os estudos tiveram custo de R$ 1,6 milhão, que será ressarcido pela empresa que vier a vencer a futura licitação para a concessão do Rita Maria. Conforme projeção da secretaria de infraestrutura, o certame deverá ser lançado até novembro deste ano.

Além de um melhor aproveitamento da área comercial e de uma readequação dos espaços, a rodoviária Rita Maria contará com soluções mais sustentáveis, com reaproveitamento de água da chuva para utilização nos banheiros e energia solar por sistema fotovoltaico.

Publicidade