Fiesc estima investimento de R$ 193 milhões na BR-282 para construção de terceiras faixas

    Com 69 km de terceiras-faixas entre Lages e Florianópolis, BR-282 ganha fluidez e segurança

    A Federação das Indústrias (Fiesc) lançou o projeto “BR-282 + Segura e Eficiente”, em evento virtual, nesta quarta-feira (23/6). A iniciativa propõe um conjunto de obras, estimada em R$ 192,9 milhões, para melhorar a segurança e a fluidez do trecho que vai de Lages à Grande Florianópolis. Entre as propostas estão a implantação de 68,9 km de faixas adicionais em locais onde ocorrem as ultrapassagens mais perigosas; readequações em interseções; relocações de sarjetas de drenagens e reforço da sinalização.

    “A cada dois dias ocorre um acidente grave, por vezes com mortes”, disse o presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar. “Precisamos resolver rapidamente essa questão sob a ótica humanitária e também para melhorar a fluidez, a competitividade e atividade turística no estado”, salientou. “Trabalhamos intensamente pela melhoria da infraestrutura de Santa Catarina. É um fator determinante para que tenhamos mais competitividade da indústria e da economia”, acrescentou Aguiar, destacando que Santa Catarina enfrenta sérios problemas de infraestrutura, que têm impactado o custo logístico.

    A ação está no âmbito do projeto Humanização das Rodovias Catarinenses, que tem o objetivo de contribuir para o planejamento e a melhoria da segurança e da fluidez do sistema rodoviário catarinense. Projetos de engenharia rodoviária mostram que duplicar o trecho da rodovia que vai de Palhoça a Lages tem custos elevados para execução das obras, principalmente em função do relevo. Contudo, a análise da Federação sugere medidas pontuais, em trechos mais críticos, que no curto prazo podem melhorar muito a segurança e a fluidez da rodovia. Comparadas às obras de duplicação, as faixas adicionais são melhorias de baixo custo e menor impacto ambiental, mas que aumentam a qualidade do serviço ao usuário.

    caminhão em pista simples da rodovia br-282; fiesc calcula em 192 milhões investimento em obras
    Para a federaçao das indústrias, investimento em pistas de ultrapassagem resolveria maior parte dos problemas entre Lages e a Grande Florianópolis – Google Street View/Reprodução/CSC
    Publicidade

    A análise da Federação, realizada pelo engenheiro Ricardo Saporiti, mostra que os investimentos estimados – numa etapa inicial nos segmentos prioritários, entre Santo Amaro da Imperatriz e Alfredo Wagner, cujas terceiras faixas já estão projetadas -, é de aproximadamente R$ 46 milhões. Eles reduzirão substancialmente o elevado índice de acidentes, assim como os custos operacionais aos usuários da rodovia. Numa etapa seguinte, podem ser incluídos os projetos executivos e a execução dos demais segmentos (aproximadamente 52,5 km), com investimentos estimados em R$ 147 milhões.

    + Deputados criticam situação das rodovias federais em SC

    Durante a análise, identificou-se a necessidade urgente de elaborar mais estudos técnicos e ambientais e projetos do traçado da BR-282 entre o km 6 (interseção da Via Expressa com a BR-101) e o perímetro urbano de Santo Amaro da Imperatriz. O traçado atual (região do Sul do Rio) foi improvisado na década de 1980, sobrepondo a rodovia estadual então existente.

    Acidentes na BR-282

    Estatísticas da Polícia Rodoviária Federal (PRF) apontam a ocorrência média de 2,157 acidentes por dia e de uma lesão grave ou morte a cada dois dias. Os dados são do período de 2017 a 2020 e consideram os quilômetros 15, em Palhoça, ao 240, em Lages.

    Estiveram na reunião políticos federais de Santa Catarina, que afirmam que vão tentar alguma sensibilização do governo federal para investir na rodovia. No início de junho o governo estadual também reuniu a Frente Parlamentar Catarinense para propor uma concessão da rodovia junto com investimentos federais, a fim de duplicá-la sem pedágios “tão caros”.

    Publicidade