Empate de Botafogo e Figueirense
Botafogo e Figueirense ficaram no 0 X 0. Foto Raul Ramos/Botafogo/Divulgação

Na noite da terça-feira (8/10), no estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto, o embalado Botafogo-SP recebeu o compelido Figueirense já contando com os três pontos da partida, pois o momento da pantera é admirável e, portanto, era o grande favorito do jogo. Só que o jogo é jogado e o lambari é pescado. O alvinegro catarinense teve a grande chance de quebrar esse favoritismo do clube do interior paulista, quando aos 39min do 2º tempo o jogador Andrigo desperdiçou a cobrança de uma penalidade. O empate até que não foi tão ruim assim. Mas jogar fora uma chance tão grande na situação desesperadora que se encontra o time na série B, não é nada bom. Dos cinco novos jogadores que estrearam com a camisa alvinegra, o goleiro Pegorari e Conrado foram os melhores. O jogo marcou o reencontro de Hemerson Maria com seu ex-clube.

Chegou ao fim

O lateral-esquerdo e meio campista Michel Bastos, que teve uma passagem marcante pelo Figueirense em 2005, e por outros 13 clubes, anunciou a sua aposentadoria do futebol nesta segunda-feira (7/10). Aos 36 anos, ele usou as suas redes sociais para comunicar que a sua brilhante carreira como jogador profissional chegou ao fim. Revelado pelo Pelotas-RS, o momento memorável do atleta foi quando Dunga o convocou para defender a seleção brasileira na Copa do Mundo da África do Sul, em 2010, onde foi titular da lateral esquerda. Seu último clube foi o América-MG, quando o jogador atuou em apenas uma partida. Foi no alvinegro catarinense que Michel Bastos mais se destacou no futebol brasileiro.

Do Guarani de Palhoça

Com os fracassos na Libertadores da América, Copa do Brasil e sem contar mais com o apoio da torcida colorada, o Internacional não deverá continuar com o técnico Odair Hellmann para a próxima temporada. O nome mais badalado nas coxias do Beira-Rio é o de Tiago Nunes, que no comando do Athlético Paranaense conquistou a sul-americana e a Copa do Brasil. Além disso o time colorado deverá ter dois novos camisa 10 em seu elenco para 2020, e um deles é do Guarani de Palhoça. Trata-se de José Aldo, que tem como atributo um toque refinado de bola e complemento a gol. José Aldo já é um dos principais atletas do time sub-23 do Internacional. O atleta foi revelado pelo bugre palhocense e ainda pertence ao clube. De acordo com a Revista Colorada, o clube gaúcho deverá desembolsar R$ 1,2 milhões por 50% de seus direitos.

Famigerado VAR
Publicidade

Esse famigerado VAR tem dado o que falar. Justamente ele, que foi concebido pelas mãos dos homens para ajudar a arbitragem na busca de deixar o jogo mais honesto dentro das regras, tem desagradado a todos. Só na 24ª rodada deste Brasileirão, do último final de semana, quatro jogos foram marcados por polêmicas. Foram em Porto Alegre, com Grêmio x Corinthians; em BH, com Cruzeiro x Inter; Chapecoense x Flamengo também teve. E o mais complicado ficou por conta de CSA x Avaí num pênalti inexistente confirmado a favor do time da casa. Mas não culpemos somente o VAR, a juizada também possuem a sua parcela de culpa. Afinal, o árbitro de vídeo não veio para tirar a autoridade de ninguém.

Era Prisco Paraíso

As redes sociais dos torcedores alvinegros ficaram alvoraçadas na tarde da segunda-feira (7) por conta de uma ilustre visita ao Scarpelli. Não se tratava de um ex-jogador de renome nacional, um artista famoso ou um empresário querendo assumir o clube. O novo presidente do Figueirense, Chiquinho de Assis, o convidou e recebeu de braços abertos Paulo Prisco Paraíso, um dos mais triunfantes dirigentes do clube. O torcedor alvinegro, que anda carente, rememorou as grandes conquistas da era Prisco Paraíso quando o time conquistou o tricampeonato catarinense em 2002, 2003 e 2004. Depois em 2006 e 2008, e também em 2001 o acesso à elite do futebol brasileiro, com aquele gol de Abimael. Com Prisco no comando, treinadores como Muricy Ramalho, Dorival Junior e Adilson Batista e jogadores famosos, como Edmundo, Cléber, Evair e outros, se destacaram no time a nível nacional.

Aniversário do Amarildo do Praça 11
Quem estará comemorando mais um níver neste fim de semana é o empresário Amarildo, que irá receber seus amigos na melhor casa de samba de nossa região, o Praça 11, em São José.
Pênalti polêmico

Em Maceió o jogo valia muito na briga contra o rebaixamento e o Avaí tentou surpreender o CSA logo no início, obrigando o goleiro adversário a trabalhar, aos nove minutos. A resposta do time da casa foi fulminante, com jogadas de ataque dando muito trabalho à defesa do Leão. Mesmo assim o time alagoano terminou o primeiro tempo em vantagem no placar. Retorno pro jogo e a superioridade do CSA na primeira etapa já não era a mesma e o Avaí logo a dois minutos empatava. E se não fosse aquele pênalti polêmico assinalado num momento fundamental do jogo, o Avaí poderia ter saído de Alagoas com um resultado mais positivo.

Lembrança aborrecedora

Depois de ter sido “operado” pelo VAR, o Avaí recebeu o Vasco da Gama na Ressacada e ficaram no zero. Essa foi a 26ª vez que os times se enfrentam, sendo que o time carioca já venceu o Leão da ilha em 15 confrontos. O jogo desta quinta-feira foi mais um capítulo envolvendo ambas as equipes na história do Aderbal Ramos da Silva. Ainda que não seja tão agradável para o torcedor do Leão, a lembrança mais aborrecedora foi na inauguração da Ressacada, em 15/11/1983, na vitória do clube cruz-maltino por 6 a 1.

Drops da arquibancada

O Avaí solicitou junto ao STJD a anulação do jogo contra o CSA nesta terça-feira (8/10), alegando que Daronco foi convencido a mudar equivocadamente a sua decisão em campo por quem comanda o VAR.

A dança das cadeiras de técnicos no futebol brasileiro está se transformando numa festança. O Botafogo, que agora está sem comandante, quer porque quer repatriar o técnico Alberto Valentim para o Rio de Janeiro. Para o torcedor azurra a sua saída não faz muita diferença.

No empate em 2 a 2 dentro do Heriberto Hulse, diante do Brasil de Pelotas, sobrou cobras e lagartos pra cima do fraquíssimo árbitro Igor Benevenuto. O tigre reclama de três pênaltis não marcados pelo senhor juiz mineiro.

O técnico Gilmar Dal Pozzo, que é conhecedor do futebol catarinense quando por aqui passou comandando a Chapecoense, é campeão da série C com o Náutico deste ano. Enquanto isso os nossos clubes daqui não valorizam as pratas da casa.

Cartão rosa/vermelho

Cartão rosa para o delegado da DIC de São José, Manoel Galeno e toda sua equipe pelo excelente trabalho realizando na cidade. O nome de Galeno foi sondado para concorrer as próximas eleições para prefeito de São José, mas o delegado afirma que está focado no seu trabalho que é a polícia.

Cartão vermelho para os desqualificados do STJD da CBF, que comprovadamente parecem estar mais perdidos que cego em tiroteio. Tudo por conta da retirada de três pontos do Figueirense em relação aquele triste episódio do W.O em Cuiabá. Depois da divulgação do erro do STJD neste quesito pela imprensa, os “nobres” da corte da CBF voltaram atrás e restabeleceram os pontos retirados do Figueira. Como se já não bastasse a crise do clube por conta de péssimos administradores, vem a “corte” e ainda quis entornar o caldo. Ah, para, né?

Pensamento do Bambi

A nuvem pegou o ônibus, porque ela era uma nuvem passageira.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here