Fiscais identificam corte ilegal de mata nativa na Praia da Galheta

Prefeitura já tinha tentado embargar a obra

Um corte ilegal de mata nativa foi comprovado nessa segunda-feira (20/7) na Praia da Galheta, em Florianópolis.

Fiscais da prefeitura, Instituto Geral de Perícias e a Polícia Civil estivem no local e constataram uma supressão da restinga, que, segunda a prefeitura, já era monitorada há alguns dias.

foto aérea da mata com caminho aberto no meio e clareiras
Lago artificial era construído no Monumento Natural Municipal da Galheta, em Florianópolis – PMF/Divulgação/CSC

O corte de vegetação foi dentro da área do Monumento Natural Municipal da Galheta. O Mona Galheta é uma das nove unidades de conservação municipais da capital, e qualquer dano à vegetação nativa de uma unidade configura crime ambiental.

Publicidade

Segundo a prefeitura de Florianópolis o responsável (não divulgado) usou máquinas para intervir no espaço e fazer um lago. A intervenção já havia sido embargada e o responsável autuado.

Desta vez, a operação ocorreu em conjunto com a Deic, representada pela delegada Beatriz Ribas, e a Polícia Militar Ambiental de Santa Catarina. A supressão foi novamente paralisada, e a Deic fará os encaminhamentos legais para responsabilizar o infrator.

Publicidade