Florianópolis cria auxílio para mulheres vítimas de violência e jovens em abrigos

O auxílio será de um salário mínimo por seis meses para incentivo de autonomia e independência financeira

Uma janela ao fundo borrada na foto e o contorno de um rosto que aparece totalmente escuro pela foto. A prefeitura de Florianópolis criou o benefício desacolhimento, para mulheres vítimas de violência e jovens em casas de passagem.
Auxílio promove autonomia financeira para mulheres e jovens vulneráveis da capital. Leonardo Sousa/PMF/Divulgação/CSC

Em Florianópolis, as mulheres vítimas de violência doméstica e jovens em casas de passagem e acolhimento que farão 18 anos poderão receber o benefício desacolhimento, que será fornecido pela prefeitura. O auxílio será de um salário mínimo para incentivo de autonomia e independência financeira, durando seis meses prorrogáveis por mais três, mediante avaliação técnica.

O benefício desacolhimento será concedido pela Secretaria Municipal de Assistência Social, executado e acompanhado pela equipe técnica vinculada ao órgão gestor. A concessão será realizada pela equipe técnica do serviço de acolhimento institucional, quando considerar que a permanência no serviço vem da ausência temporária de moradia ou local para residir. O valor pode auxiliar no pagamento de aluguéis e o beneficiário será acompanhado pelas equipes, certificando que o auxílio será utilizado para a finalidade a que se destina.

O auxílio será concedido para até 20 mulheres e jovens. As vagas cobrem 100% da demanda atual, mas podem ser ampliadas, conforme a necessidade. Atualmente em Florianópolis há 10 mulheres vítimas de violência acolhidas junto com seus filhos. Há ainda 7 jovens que irão completar 18 anos em 2021 e poderão ser beneficiados. As jovens que serão beneficiadas receberão o benefício desacolhimento pela dificuldade de autonomia financeira, visto que em sua grande maioria, são pessoas que saem das casas de acolhimento e não possuem vínculos familiares.

Publicidade