Florianópolis decreta situação de emergência por causa da dengue

Cidade tem 3,5 mil focos de mosquito e 330 casos confirmados em 2022

A prefeitura de Florianópolis decretou situação de emergência por causa da dengue. A publicação ocorreu através do diário oficial do município desta terça-feira (12/4).

Conforme o decreto 23.790, há uma emergência em saúde pública, em todo o território do município de Florianópolis em razão da infestação pelo mosquito Aedes aegypti, que provoca uma epidemia de dengue.

O documento afirma que já foram identificados neste ano mais de 3.500 focos do Aedes e diagnosticados 329 casos de dengue autóctones (contraídos no município).

Publicidade

O bairro Itacorubi é o que “mais preocupa” o poder municipal, com 169 casos registrados nos moradores, seguido de Agronômica, com 33 casos, Córrego Grande, 18 casos e Centro, 11 casos.

O decreto leva em consideração também que o último Levantamento de Índice Rápido de Infestação para Aedes aegypti (Lira), realizado em março, indicou alto risco de transmissão da dengue no município de Florianópolis, e que mais de 60% dos focos estão em residência.

Com o decreto, fica criada uma comissão de acompanhamento para enfrentamento da “situação anormal”, autorizada a contratação de pessoal sem concurso para combate ao mosquito, realização de campanhas educativas e o “ingresso forçado em imóveis públicos ou particulares, residenciais, comerciais ou industriais, independente da atividade, no caso de situação de abandono ou de ausência de pessoa que possa permitir o acesso de agente público” para verificar se há criadouros do inseto transmissor do vírus.

A prefeitura de Florianópolis também decretou que os terrenos baldios devem ser limpos, sob a possibilidade de multa de até R$ 500. O decreto tem prazo de seis meses.

aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, que é uma espécie exótica invasora
Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, que é uma espécie exótica invasora – Divulgação/CSC

+ Ovos de mosquito da dengue podem ficar dormentes por 18 meses à espera de água

Dengue em Santa Catarina

Nesta segunda-feira (11) a Dive relatou que o Lira aponta que 45 municípios de Santa Catarina apresentam alto risco de transmissão de dengue. A maioria deles está localizada na região Oeste do estado. Além disso, o relatório revela que 33 municípios apresentam médio risco e 22, baixo risco. De acordo com o último boletim epidemiológico já foram confirmados 9.422 casos de dengue, desses, 7.515 são autóctones (com transmissão dentro do estado).

A Dive não considera a cidade de Florianópolis em situação de epidemia de dengue porque o índice deve estar acima de 300 casos/100 mil habitantes. Na capital a proporção de casos está em 63,7/100 mil.

Até a semana passada, 70 municípios de Santa Catarina notificaram casos autóctones nesse ano, sendo que 21 atingiram o nível de epidemia: Maravilha, Seara, Concórdia, Iporã do Oeste, Itá, Xanxerê, Abelardo Luz, Romelândia, Mondaí, Belmonte, Coronel Freitas, Guaraciaba, São José do Cedro, Caibi, Palmitos, Ascurra, Caxambu do Sul, Tunápolis, Flor do Sertão, Santa Helena e Peritiba.

Por Lucas Cervenka – reportagem@correiosc.com.br

Publicidade