Gean Loureiro: “O ato foi consensual e fui alvo de uma armação covarde”

O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, foi acusado de ter estuprado uma ex-servidora por três vezes. Em 9 de outubro, um boletim de ocorrência relata que por três vezes o prefeito teria forçado uma cojunção carnal com a mulher em 2017, 2018 e outubro de 2019.

Em resposta, ele afirma que o ato foi consensual, que não se orgulha de ter traído a esposa e que é alvo de uma tentativa eleitoral baixa. “Fomos surpreendidos por uma avalanche de mentiras”, diz Loureiro, que afirmava que já havia tratado o caso com a esposa e que não esperava ser alvo de uma armação covarde.

Publicidade

Em nota, sua assessoria destaca que apesar de o boletim de ocorrência ser datado em 9 de outubro de 2020, o prefeito ainda não foi notificado até a manhã dessa quinta-feira (29/10) ou tinha conhecimento do BO até surgir nas redes sociais, além de que narra uma denúncia de um suposto assédio há um ano, mas que só foi denunciado agora, no período eleitoral. A assessoria do prefeito informa também que mais informações serão entregues aos responsáveis pela investigação quando o prefeito for oficialmente notificado sobre o assunto, que está em segredo de justiça.

Casado e pai de quatro filhas, Gean Loureiro é candidato à reeleição para a prefeitura de Florianópolis e lidera as pesquisas eleitorais.

Publicidade