Aedes aegypti picando uma pessoa com bolsa do mosquito cheia de sangue
Aedes aegypti - Divulgação/CSC

O segundo boletim da Dive (Diretoria de Vigilância Epidemiológica) em Santa Catarina mostra que janeiro de 2020 terminou com 4.631 focos do mosquito Aedes aegypti em 132 municípios. A quantidade, que inclui os três últimos dias de dezembro, é 47,9% maior do que o mesmo período do ano passado, quando foram identificados 3.131 focos em 117 municípios catarinenses.

No momento, 99 municípios de SC são considerados infestados pelo mosquito. Em relação ao primeiro boletim desse ano, há inclusão de duas cidades: Marema e Salto Veloso, no oeste. A definição de infestação é realizada de acordo com a disseminação e manutenção dos focos.

Dengue

No período de 29 de dezembro de 2019 a 1º de fevereiro de 2020, foram notificados 335 casos de dengue em Santa Catarina. Desses, 35 (11%) foram confirmados (todos pelo critério laboratorial), o significa 24 casos a mais do que o último boletim. Do total de casos confirmados até o momento, apenas um é autóctone (transmissão dentro do estado), com local provável de infecção em Joinville.

Publicidade

Nesse ano não houve a confirmação de casos de febre de chikungunya e zika vírus em Santa Catarina

Como evitar a proliferação do Aedes aegypti
  • evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usá-los, coloque areia até a borda;
  • guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;
  • mantenha lixeiras tampadas;
  • deixe os depósitos d’água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;
  • plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água;
  • trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana;
  • mantenha ralos fechados e desentupidos;
  • lave com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana;
  • retire a água acumulada em lajes;
  • dê descarga, no mínimo uma vez por semana, em banheiros pouco usados;
  • mantenha fechada a tampa do vaso sanitário;
  • evite acumular entulho, pois ele pode se tornar local de foco do mosquito da dengue;
  • denuncie a existência de possíveis focos de Aedes aegypti para a Secretaria Municipal de Saúde;
  • caso apresente sintomas de dengue, chikungunya ou zika vírus, procure uma unidade de saúde para o atendimento.
Publicidade
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here