Mergulhadores buscam por jovem desaparecido no lago da pedreira, local profundo e sem visibilidade

Com recortes irregulares, lago formado em antiga pedreira é completamente turvo e com profundidade média de 15 metros

As buscas por um adolescente no lago da pedreira em São José reiniciaram na manhã de terça-feira (18/1), às 7h. O jovem, de 14 anos, está desaparecido após um mergulho na tarde de segunda (17) no local, que fica entre os bairros Bosque das Mansões e Bela Vista.

Mergulhadores buscam por jovem desaparecido no lago da pedreira, local profundo e sem visibilidade
Quatro mergulhadores dos bombeiros fazem as buscas no lago, que não tem visibilidade e dificulta trabalho – CBM/Divulgação/CSC

O Corpo de Bombeiros Militar trabalha com quatro mergulhadores do Grupamento de Busca e Resgate (GBS) no local, além de apoio da Polícia Militar para segurança da cena.

Porém, mesmo para as equipes de resgate há dificuldades na operação. Segundo os bombeiros não há qualquer visibilidade submersa no lago, que é também bastante profundo, com cerca de 15 metros em alguns pontos, trechos extremamente irregulares e com “diferentes materiais não conhecidos” no leito, conforme relatou a corporação em boletim na manhã dessa terça. Segundo o tenente Franco Bressan há pedras, galhos, muito lodo e materiais de difícil reconhecimento por conta do local ter sido uma pedreira.

Publicidade

“O fundo é bem irregular, como a gente não tem essa visibilidade tem que tomar bastante precaução. Tem alguns paredões que os mergulhadores viram que está difícil de entrar”, finalizou o tenente. O CBM continuará nas buscas até encontrar o corpo do adolescente. As equipes também percorreram a margem em que não há o paredão de pedra para procurar algum possível rastro do rapaz.

O CBM reiterou, em nota, que recomenda às pessoas não tomarem banho nesse lago. O local tem acesso proibido, mesmo assim é frequentado por diversos moradores do entorno, como os jovens do Pedregal que estavam tomando banho nessa segunda junto com o garoto que desapareceu.

Por Lucas Cervenka – reportagem@correiosc.com.br

Publicidade