Ministro Pazuello diz que 46 milhões de doses da Coronavac chegam em janeiro

    pessoas usando luva azul cirúrgica segura duas seringas de vacina com dizeres em chinês
    Imunização ao coronavírus pela Coronavac necessita duas doses por pessoa - Sinovac/Divulgação/CSC

    Após reunião virtual com governadores na tarde dessa terça-feira (20/10), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, assinou um protocolo de intenções para adquirir 46 milhões de doses da vacina CoronaVac, que está sendo desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan.

    O ministério já tinha acordo com a AstraZeneca/Oxford, que previa 100 milhões de doses da vacina, e outro acordo com a iniciativa Covax, da Organização Mundial da Saúde, com mais 40 milhões de doses.

    Pazuello informou que a vacina do Instituto Butantã deve chegar cerca de um mês antes da AstraZeneca, de Oxford. Até o início do mês de janeiro devem estar disponíveis 46 milhões de doses do Butantã, e essas servirão para iniciar a vacinação, caso sejam aprovadas após o último estágio de desenvolvimento.

    Publicidade

    Para o protocolo de intenções de compra de doses da Coronavac, uma nova medida provisória será editada para disponibilizar crédito orçamentário de R$ 1,9 bilhão. O Ministério da Saúde já havia anunciado, também, o investimento de R$ 80 milhões para ampliação da estrutura do Butantan – o que auxiliará na produção da vacina.

    Segundo o Ministério, o processo de aquisição ocorrerá após o imunizante ser aprovado e obter o registro junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

    A Coronavac já está na Fase 3 de testes em humanos. Ao todo, os testes com a Coronavac – que tiveram início no Brasil em julho – serão realizados em 13 mil voluntários.

    Caso a última etapa de testes comprove a eficácia da vacina, ou seja, comprove que ela realmente protege contra o novo coronavírus, o acordo entre a Sinovac e o Butantan prevê a transferência de tecnologia para produção do imunizante no Brasil. A Coronavac prevê a administração de duas doses por pessoa.

    Com informações da Agência Brasil

     

    Publicidade