Na próxima quarta, em Floripa, começa a feira do mel

feira do mel em florianopolis começa nesta semana, de 5 a 8 de junho
Neste ano novidade é o horário ampliado: das 8h às 19h, de quarta a sexta-feira; Feira do Mel de Florianópolis termina no sábado, às 13h - Foto: PMF/Divulgação

A partir desta quarta-feira (5/6), até sábado (8/5), ocorre no Centro de Florianópolis mais uma edição da feira do mel.

Além do produto principal da feira, também serão comercializadas variações do mel. Haverá mel de várias floradas, própolis, mel composto, geleia real, cera de abelha, balas, biscoitos, cosméticos com produtos apícolas, pão de mel, bolo de mel, chás, cachaça, vodka com mel, favos de mel e pólen.

Neste ano novidade é o horário ampliado: das 8h às 19h, de quarta a sexta-feira. No último dia, sábado, a Feira do Mel abre às 8h e termina às 13h. Os valores por quilo são padronizados: o mel convencional será comercializado a R$ 23 e o mel orgânico ou melato a R$ 28.

Publicidade

O evento será realizado na Avenida Paulo Fontes, em frente ao Ticen. Além da administração municipal, Federação das Associações de Apicultores e Meliponicultores de Santa Catarina e Epagri também organizam a feira.

20ª Feira do Mel

A 20ª Feira do Mel acontece junto com a Semana de Conscientização Ambiental, onde o público poderá conferir uma mostra de projetos ambientais que são desenvolvidos em Santa Catarina. Também haverá a distribuição de mudas de plantas nativas para os visitantes.

Como no ano passado, será realizada gratuitamente massagem facial com creme a base de produtos apícolas diariamente. O livro Receitas com Mel, editado pela FAASC, com receitas de produtores de todo estado será distribuído gratuitamente na feira. Um incentivo para as pessoas descobrirem outras formas de utilizar o mel e descobrir que mel pode entrar em muitas receitas inusitadas.

Santa Catarina possui 9 mil famílias rurais trabalhando com apicultura e cerca de 323 mil colmeias, sendo considerada a melhor produtividade do país, com uma média de 60 kg/km², contra 5 kg/km² no restante do Brasil.

Publicidade