Polícia busca por provas de corrupção na prefeitura e câmara de Biguaçu na Operação “Co-incidência”

A Polícia Civil realiza nesta quarta-feira (9/12) a operação “Co-incidência” e cumpre sete mandados de busca e apreensão expedidos pela justiça, em 16 endereços da Grande Florianópolis.

As investigações apuram a suspeita de diversos crimes contra a administração pública no município de Biguaçu, dentre eles: comunicação falsa de crime, associação criminosa, contratações irregulares (lei de licitações) e possível existência de funcionário fantasma no serviço público municipal.

operação co-incidência: policiais se organizam em hall com malotes de provas
Polícia Civil deflagrou a operação na manhã desta quarta (9) a partir de dois inquéritos – PC/Divulgação/CSC

As diligências estão sendo realizadas nos endereços residenciais dos investigados, secretarias municipais, setores administrativos da Prefeitura e em um gabinete da Câmara de Vereadores de Biguaçu.

Publicidade

Os mandados judiciais são decorrentes de duas investigações que tramitam paralelamente na Delegacia de Polícia da Comarca de Biguaçu. Segundo o Delegado de Polícia Rodrigo Dantas, um dos inquéritos foi instaurado após denúncia de que um vereador de Biguaçu seria supostamente funcionário fantasma na Prefeitura.

A outra investigação decorre de suspeita de possível falsa comunicação de crime realizada por um secretário municipal visando ocultar irregularidades praticadas por políticos e servidores do município.

Os trabalhos são coordenados pela Delegacia de Polícia da Comarca de Biguaçu, que preside as investigações, havendo participação de policiais da Delegacia Regional de Polícia de São José, Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (CORE) e da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC) no cumprimento das diligências.

A polícia ainda não revelou qual é o nome do vereador envolvido.

Publicidade