Duas pessoas de cabelo curto estão de costas olhando para uma bomba de um posto de combustível. Um veste um colete escuro do Procon de São José e outro veste uma camiseta preta em que se lê fiscalização imetro/sc. A operação transparência lacrou bombas irregulares durante a fiscalização em postos de combustíveis de são josé.
Na operação, bombas foram lacradas por irregularidades. PMSJ/Divulgação/CSC

Agentes de fiscalização do Procon de São José, em conjunto com os fiscais do Instituto de Metrologia de Santa Catarina (Imetro) e a Agência Nacional de Petróleo (ANP), realizaram a operação Transparência em postos no município, em 8 e 9 de junho. O objetivo era verificar a qualidade técnica das bombas e dos combustíveis. Na operação, a fiscalização encontrou irregularidades em algumas bombas, que foram lacradas. O Procon não informa quais postos sofreram os lacres.

Também foi deflagrada a operação Informação Qualificada, em que o Procon verificou se os postos estão afixando um painel em local visível com o preço estimado dos tributos incidentes sobre os combustíveis automotivos. Segundo o diretor do Procon de São José, Tete Souza, a parceria entre os órgãos foi fundamental para a realização da operação. “Precisamos fazer um trabalho articulado em conjunto para que a população não seja prejudicada”, diz. Nesta semana, um levantamento da ANP mostra os postos de São José com o preço médio mais caro da gasolina em Santa Catarina, em comparação a outros doze municípios.

Publicidade