Prata da casa: Pedro Barros retorna a Florianópolis após conquista do vice-campeonato em Tóquio

    Ele, Yndiara e Isadora deram volta em carro dos bombeiros pelo sul da ilha

    pedro barros retorna a florianópolis e exibe medalha de prata conquistada nas olimpíadas de tóquio
    Pedro Barros exibe medalha conquistada na categoria slate park nos jogos olímpicos de Tóquio - Divulgação/CSC

    O skatista Pedro Barros voltou a Florianópolis neste sábado (7/8). Por volta de 10h chegou junto com as atletas Yndiara Asp e Isadora Pacheco, também da modalidade Park, em voo no aeroporto da capital.

    Os skatistas deram show nas Olimpíadas de Tóquio, na qual pela primeira o skate entrou na disputa, e Barros conquistou a prata para o Brasil.

    No aeroporto foram recebidos como heróis pela família, amigos e fãs e colocados em um caminhão do Corpo de Bombeiros Militar, que deu voltas por diversas ruas do sul da ilha, berço dos atletas de Florianópolis.

    Publicidade

    Ao final do trajeto Barros foi para uma pista de skate no Rio Tavares, o Hi Adventure, ponto tradicional do esporte em Florianópolis. Lá, recebeu o carinho de fãs, fez manobras no bowl e exibiu a medalha de prata conquistada nos jogos olímpicos.

    Como foi a conquista da prata

    No início da tarde desta quinta-feira no Japão (madrugada no Brasil), no Ariake Sports Park Skateboarding, Pedro Barros terminou na segunda colocação na final do skate park. Esporte estreante em jogos olímpicos, o skate deu ao Brasil sua terceira medalha de prata em Tóquio.

    Na final, Pedro Barros somou 86.14, ficando atrás do australiano Keegan Palmer, com  95.83. O bronze ficou com o americano Cory Juneau, com 84.13. Luiz Francisco terminou na quarta colocação, com 83.14, e Pedro Quintas foi o oitavo, com 38.47.

    No park, Pedro Barros conquista terceira prata do skate brasileiro em Tóquio
    No park, Pedro Barros conquista terceira prata do skate brasileiro em Tóquio – Gaspar Nóbrega/COB

    “Mais do que qualquer bem material, o mais importante sempre vai ser  a mensagem que a cultura do skate passa. Hoje tivemos uma oportunidade de fazer isso, de passar algo que não fosse só bonito de se ver mas que tocasse a nossa alma e das pessoas que estavam assistindo. Essa é a essência do skate, o que a gente queria passar aqui. Mostrar que pode vibrar com a conquista um do outro e até tentar trazer força para aquele que não teve a mesma conquista. Vi meus amigos, pessoas com quem ando a vida toda tristes pelo fato de não ter conseguido fazer a volta que poderia fazer. No final a competição é do ser humano, faz parte, mas é muito importante para nosso progresso entender que a competição pode ser saudável e guiada”, afirmou Pedro em entrevista ainda em Tóquio. Ele revelou que escutava Charlie Brown Jr. durante a competição.

    Skatistas de Florianópolis desfilam em carro de bombeiros pelas ruas da lagoa
    Skatistas de Florianópolis desfilam em carro de bombeiros pelas ruas da Lagoa – Divulgação/CSC
    Publicidade