Prefeito que alegou “viadagem” para demitir professor será investigado pelo MPSC

"Não permitiremos viadagem em sala de aula", disse Clésio Salvaro

Prefeito que alegou
Prefeito que alegou "viadagem" para demitir professor será investigado pelo MPSC

Um professor da rede municipal de Criciúma foi demitido nesta quinta-feira (26/8) pelo prefeito, Clésio Salvaro (PSDB), que alegou que não aceita “viadagem” em sala de aula. O professor exibiu para alunos entre 14 e 15 anos, do 9º ano da Escola Municipal Pascoal Meller, na terça-feira (24), um clipe do artista Criolo, que trata de questões de gênero (veja abaixo).

Houve uma pequena repercussão na comunidade acadêmica local sobre a exibição do clipe e o prefeito foi às redes sociais para divulgar que exonerou o professor porque o conteúdo é “erotizado” e que “não aceita viadagem em sala de aula”.

Com a fala discriminatória houve uma reação nacional contra o político. Até mesmo Criolo se manifestou, afirmando que lamenta a reação do prefeito e que o clipe não tem restrições pelas diretrizes do Youtube e que ser para colocar a temática em debate. Diversos pontos da cidade amanheceram na quinta-feira pixados com palavras contra o prefeito. Salvaro logo deletou de algumas de suas redes sociais o vídeo.

Publicidade

O Ministério Público de Santa Catarina instaurou, nesta quinta (26/8), um procedimento para apurar possível prejuízo à dignidade humana de caráter coletivo na exoneração de um professor da rede pública de ensino em Criciúma, bem como se a sua exoneração se deu dentro dos limites legais.

O promotor de justiça Fred Anderson Vicente, da 5ª Promotoria de Justiça, com atuação na área da cidadania e direitos humanos, vai verificar, inclusive, se existem políticas públicas relacionadas ao público LGBTQIA+. “Vou verificar se a conduta do prefeito violou princípios da dignidade humana previstos na Constituição Federal e na legislação ordinária”, afirma o Promotor de Justiça.

Uma representação criminal também chegou na promotoria de justiça no final da tarde desta quinta-feira. A representação criminal será encaminhada para a Procuradoria-Geral de Justiça. O caso também está sendo acompanhado pelo NECRIN, o Núcleo de Enfrentamento aos Crimes de Racismo e Intolerância do MP.

Confira o clipe Etérea, de Criolo

Por Lucas Cervenka – redacao@correiosc.com.br

Publicidade