Prefeitos pedem início imediato da vacinação de crianças

Prefeitos pedem início imediato da vacinação de crianças
"Os prefeitos brasileiros têm sido os grandes defensores da vacina no nosso país", disse Loureiro durante reunião da Frente Nacional de Prefeitos, nesta quinta (25), em Aracajú - FNP/Divulgação/CSC

Em encontro na manhã dessa quinta-feira (25/11) da Frente Nacional de Prefeitos, os mandatários subiram o tom exigindo do governo federal a imunização imediata de crianças de 5 a 11 anos contra coronavírus.

Em sua fala, o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, afirmou que há um estudo técnico encomendado pelo Consórcio Conectar, o qual ele preside, que apontou a importância de proteger as crianças para diminuir ainda mais a transmissibilidade da Covid e chegar a pelo menos 90% da população brasileira imunizada.

“Nós formatamos um documento para o Ministério da Saúde pedindo a imediata inclusão das crianças no Plano Nacional de Imunização – PNI. Sabemos que os sintomas são mais brandos para eles, mas a transmissibilidade pode ser diminuída com a vacinação. Os estudos já demonstraram uma eficácia de 90% nas crianças com a vacina da Pfizer”, declarou Loureiro no encontro, em Aracajú (SE).

Publicidade

Gean também destacou que municípios investem recursos, que muitas vezes não têm disponíveis para que a vacina chegue em todos os recantos do Brasil.

Ainda conforme o mandatário florianopolitano, o estudo encomendado pelo Conectar e liderado pela epidemiologista Carla Domingues, que coordenou o PNI durante 8 anos, apontou que no Brasil a mortalidade de crianças e adolescentes por COVID apresenta taxas cerca de 4 a 8 vezes superiores, respectivamente, às registradas em países como EUA e Reino Unido.

Em Santa Catarina perderam a vida 32 crianças de 0 a 9 anos por conta da infecção por coronavírus entre 37,3 mil casos confirmados.

Em 12 de novembro o consórcio Pfizer – BioNTech entrou com o pedido de autorização na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para que sua vacina contra a covid-19, a Comirnaty, possa ser aplicada em crianças com idades entre 5 e 11 anos. A Anvisa tem até um mês para dar o aval sobre a aplicação pediátrica do imunizante. Nessa quarta, a agência europeia de medicamentos (EMA) deu a autorização para esse uso, assim com já haviam feito as agências nacionais de Israel, Canadá e EUA.

Por Lucas Cervenka – reportagem@correiosc.com.br

Publicidade