Santa Catarina registra aumento na doação de órgãos

    três médicos usando máscaras em sala de cirurgia
    Foto: Mauricio Vieira/Arquivo /Secom/Divulgação

    Mesmo com a pandemia de Covid-19, Santa Catarina teve um aumento de 15% em doações de órgãos nos primeiros cinco meses do ano em relação a 2019. De janeiro a maio de 2020, foram registradas 129 doações de múltiplos órgãos, 17 a mais do que o mesmo período do ano passado.

    Neste ano, apenas no mês de março houve uma queda, se comparado aos dados de 2019. Foram registradas 34 doações em janeiro, 26 em fevereiro e 19 em março, mês marcado pelo fechamento de diversas atividades devido à pandemia. O crescimento foi retomado em abril e maio, com 23 e 27 doações efetivadas.

    2019 já havia sido um ano histórico neste quesito no estado, onde foram registados 332 doadores efetivos em 2019, 45 a mais em relação a 2018. O estado também teve o melhor desempenho da história nos transplantes: foram 1507 procedimentos, contra 1217 registrados em 2018. A melhor marca até então era de 2014, quando contabilizou 1386.

    Publicidade

    O superintendente de Serviços Especializados e Regulação (SUR) da Secretaria de Estado da Saúde, Ramon Tartari, afirma que os números expressivos alcançados se devem principalmente ao trabalho de um grande número de profissionais comprometidos e apaixonados pela causa. “Com o apoio da Superintendência de Serviços Especializados e Regulação, as dificuldades impostas pela pandemia foram rapidamente superadas por meio de uma logística eficiente e agilidade nos resultados dos exames pelo Lacen”.

    O coordenador estadual da SC Transplantes, Joel de Andrade, confirmou que a pandemia chegou a trazer algumas dificuldades de logística, que foram suplantadas devido ao apoio da SES e do Laboratório Central de Saúde Pública. “O Lacen teve um apoio fundamental para conseguirmos manter esses números. O órgão agilizou os processos para os testes de Covid e com isso conseguimos atender quem mais necessitava”.

    Ele exaltou os números que colocam o estado como um dos líderes na questão de doação de órgãos. “Mesmo enfrentando esse cenário de pandemia, Santa Catarina foi o único estado do Sul do país que conseguiu apresentar crescimento em relação às doações de órgãos”.

    De acordo com o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, a participação de todos os funcionários da pasta, desde os responsáveis pela coordenação aos motoristas e equipes médicas que atuaram em todo o processo, mostram a união e seriedade com que a SES trabalha para o atendimento à população. “Esse resultado é fruto de um imenso trabalho que envolveu equipes e profissionais dedicados”, completou.

    Publicidade