São José registra 119 casos confirmados de dengue de janeiro a julho

Maioria tem origem no próprio município

aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, que é uma espécie exótica invasora
Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, é uma espécie exótica invasora - Divulgação/CSC

A Vigilância Epidemiológica de São José registrou 119 casos confirmados de dengue no período janeiro a julho, quando foram notificados 901 casos suspeitos. Dos confirmados, 113 são do município e seis importados de outras regiões. Ainda há 197 pessoas que aguardam resultado de exames.

Os agentes de saúde epidemiológica vem realizando um trabalho de identificação, conscientização da população acerca dos riscos da doença infecciosa e mapeamento dos focos nos bairros, a fim de combater a ameaça no município.

A equipe identificou 3.223 focos do mosquito somente nesse ano. Os bairros mais preocupantes são Areias, com 251 focos; seguido de Serraria 238; Forquilhinha 235; Ipiranga 231 e Forquilhas 228. Os menores índices de focos estão nos bairros Alto de Forquilhas 5, seguido de Flor de Nápoles 12; Área Industrial 13; Bosque das Mansões 17 e Kobrasol 21.

Publicidade

Ainda sobre os focos, os maiores causadores da proliferação do mosquito na cidade, de acordo com os agentes de saúde, são pequenos depósitos de móveis; lixo, sucatas e entulhos; pneus e outros materiais rodantes.

Comvate ao mosquito da dengue

Em São José, 45 agentes de endemias monitoram diariamente focos conhecidos de mosquitos da Dengue, por meio do ciclo de tratamento, visitas e inspeções, para controlar os criadouros do mosquito. O trabalho também ocorre junto dos mutirões da prefeitura em cada bairro, quando os agentes da Vigilância Epidemiológica encontram mais focos do mosquito, identificam as regiões mais críticas e pedem a colaboração dos moradores para acabar com os focos.

Publicidade
COMPARTILHAR