Campanha de vacinação contra a gripe será entre 12 de abril e 9 de julho

    Começa na próximo segunda-feira (12/4) a campanha de vacinação contra a Influenza (gripe). Neste ano, devido à pandemia do coronavírus, não haverá uma data específica para a realização do Dia D, data de mobilização nacional para a vacinação. Os municípios terão autonomia para definir as datas de acordo com a gravidade e realidade de cada local. A campanha vai até 9 de julho.

    Como a campanha de vacinação contra a gripe coincide vacinação contra a Covid-19, a prioridade deve ser para a aplicação da vacina contra a Covid-19 para as pessoas que fazem parte dos grupos prioritários das duas campanhas.

    “As pessoas que foram vacinadas contra a Covid-19 devem respeitar um intervalo mínimo de 14 dias para tomar a vacina contra a gripe”, explica Arieli Schiessl Fialho, gerente de imunização da Dive.

    Publicidade

    Em Santa Catarina, a população dos grupos prioritários para a vacinação contra a gripe é de 2.758.305 milhões de pessoas. A meta é vacinar, ao menos, 90% desse total. Até o momento, o Ministério da Saúde (MS) encaminhou ao estado cerca de 226 mil doses. Essas doses começram a ser distribuídas na quinta-feira (8/4) junto com algumas doses da vacina contra a Covid.

    A vacina protege contra três subtipos do vírus: influenza A (H1N1); influenza A (H3N2) e influenza B. “A vacina contra a gripe tem por objetivo reduzir os sintomas da doença, evitando assim a evolução para casos graves e possíveis óbitos. E, em meio à pandemia do coronavírus, a vacinação tem papel importante para evitar ainda mais hospitalizações”, ressalta João Augusto Brancher Fuck, diretor da DIVE/SC.

    Três etapas de vacinação

    A campanha de vacinação contra a gripe será realizada por grupos prioritários e ocorrerá em três etapas. Segundo a Dive, a vacinação dos trabalhadores da saúde iniciará assim que novas doses forem recebidas.

    • Primeira etapa (12/4 a 10/5): crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias); gestantes; puérperas; povos indígenas; trabalhadores da saúde;
    • Segunda etapa (11/5 a 8/6): idosos com 60 anos e mais; e professores das escolas públicas e privadas;
    • Terceira etapa (9/6 a 9/7): pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais; pessoas com deficiência permanente; forças de segurança e salvamento, forças armadas; caminhoneiros; trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso; trabalhadores portuários; funcionários do sistema prisional; adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade.
    Publicidade