Casal que praticava abusos sexuais com desculpa espiritual é preso em Palhoça

Homem dizia que era a entidade "capa preta" para ameaçar e estuprar vítimas com anuência da esposa

polícia civil prende casal por abusos sexuais em palhoça - policial civil de costas dentro de casa
Opearação foi chamada de "capa preta", nome que o criminoso usava para estuprar as vítimas - PC/Divulgação/CSC

Na manhã desta segunda-feira (24/5), a Polícia Civil cumpriu dois mandados de prisão temporária expedidos pela Justiça contra um homem e uma mulher em razão da suspeita da prática de abusos sexuais durante rituais espiritualistas realizados em Palhoça, na Grande Florianópolis. A Operação “Capa Preta” é da Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (Dpcami) de Palhoça.

Após a delegacia receber a denúncia dos crimes, instaurou-se inquérito policial, iniciaram-se as investigações e a tomada de depoimento das vítimas, as quais relataram que o casal realizava jantares com bebidas alcoólicas em sua residência e depois iniciavam os atendimentos espirituais.

O homem preso dizia estar sob influência espiritual da entidade “capa preta” e agia sob o comando e autorização da sua esposa. Eram realizados atendimentos e o “banho de descarrego”, em que as mulheres seriam convencidas por ela a entrarem no banheiro nuas e, após o banho, eram abusadas pelo preso.

Publicidade

Algumas vítimas relataram o uso de violência para a prática dos abusos sexuais, bem como ameaças, como ”se você não deixar fazer isso, a entidade irá desgraçar sua vida”. Os presos estão sendo investigados pelos crimes de violação sexual mediante fraude e estupro. Também foram realizadas buscas no local onde os rituais aconteciam com o intuito de angariar mais provas quanto aos delitos em investigação.

Até o momento a Polícia Civil apurou que quatro mulheres foram vítimas do casal. As investigações continuam, pois se estima que outras mulheres tenham sido vítimas do casal.

Denúncias à Polícia Civil podem ser feitas na Dpcami-Palhoça ou por meio dos canais disponíveis para denúncias: Disque 100 e 181, acesso a delegacia virtual (www.pc.sc.gov.br) e WhatsApp (48) 98844-0011.

Publicidade