Passagem de ciclone em SC deixa 3 mortos, 7.100 desalojados e 518 desabrigados

    Passagem de ciclone em SC deixa 3 mortos, 445 desalojados e 178 desabrigados
    Famílias sendo resgatadas pelo corpo de bombeiros na rodovia João Alfredo Rosa no bairro Bom Pastor, em Tubarão - Foto: Mauricio Vieira/Secom SC/Divulgação/CSC

    De acordo com o relatório informativo da Defesa Civil divulgado nesta quinta-feira (5/5), 109 municípios catarinenses relataram ocorrências por causa das chuvas provocadas nos últimos dias pela passagem de um ciclone no oceano, como alagamentos, deslizamentos, queda de árvores e muros.

    Há registro de dois óbitos em São Joaquim, onde uma pessoa permanece desaparecida, e um óbito em Urubuci, onde um homem de 45 anos foi encontrado em um terreno próximo a uma pousada no bairro Esquina, às margens da SC-110.

    alagamento na sc-108 em anitápolis
    Alagamento na SC-108 em Anitápolis, região serrana da Grande Florianópolis – PMRv/Divulgação/CSC

    São, ainda, contabilizados 7.100 desalojados e 518 desabrigados, em um total de 44 mil pessoas afetadas, conforme dados informados pelas defesas civis municipais.

    Publicidade

    A região Sul é a área mais afetada. A Defesa Civil de SC recebeu a informação de sete municípios que decretaram situação de emergência: Tubarão, Orleans, Forquilhinhas, Urubici, Maracajá, Araranguá, São Joaquim e Taió.

    Com as chuvas intensas provocadas pelo ciclone, houve ainda significativo aumento dos níveis dos rios, chegando em nível de alerta para inundação nas regiões do Litoral Sul, Planalto Sul (com destaque para a Bacia do Rio Tubarão), Oeste e Meio-Oeste.

    O Governo do Estado iniciou entrega de itens de assistência humanitária em Rio do Sul. Foram disponibilizados até o momento 16 colchões de casal, 16 kits de acomodação, 41 colchões de solteiro e 23 cestas básicas de alimentos.

    A previsão do tempo aponta para o afastamento do ciclone para alto mar nesta quinta e o estabelecimento de uma massa de ar frio no estado. Por conta das chuvas dos últimos dias, permanece o risco alto para deslizamentos e inundações.

    Estradas interditadas

    Diversas estradas em Santa Catarina foram afetadas com quedas de barreiras e rachaduras nas pistas. As situações mais críticas são na Serra do Rio do Rastro (SC-390) e na Serra do Corvo Branco (SC-370), com interdições totais da rodovias. Também estão bloqueadas a SC-453, entre Luzerna para Ibacaré, por causa do nível de água do Rio do Peixe, a SC-135 em Pinheiro Preto e a SC-110 na localidade de Pomerana, entre Lontras e Presidente Nereu.

    Cabeceira da ponte Rio do Bispo SC-370
    Cabeceira da ponte Rio do Bispo na SC-370 entre Grão-Pará e Urubici – PMRv/Divulgação/CSC

    Governador vistoria áreas atingidas

    O governador Carlos Moisés vistoriou na manhã desta quinta-feira, 5, áreas atingidas pelas chuvas no Alto Vale do Itajaí e reforçou o compromisso do Estado de investir permanentemente na prevenção de enchentes na região.

    Governador vistoria áreas mais atingidas pelo ciclone
    “Vamos avançar em mais pequenas barragens para reduzir a recorrência e mitigar, no limite da ação humana, os eventos da natureza”, disse o governador, Carlos Moisés, em Rio do Sul – Peterson Paul/Secom SC/Divulgação/CSC

    “O evento mostra que estas pautas têm de estar sempre presentes. Estamos no caminho, conseguimos tirar da gaveta projetos aguardados há décadas, como a barragem de Botuverá, e fazer planos para o futuro”, destacou Carlos Moisés em coletiva à imprensa.

    Moisés sobrevoou a região ao lado do chefe da Defesa Civil, David Busarello, do deputado estadual Jerry Comper e do prefeito de Rio do Sul, José Eduardo Thome. Em reunião na sede do Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cigerd) de Rio do Sul, Estado e município avaliaram a situação e as próximas ações.

    deslizamento de terra na serra do corvo branco
    Deslizamento de terra em Anitápolis – PMRv/Divulgação/CSC

    Publicidade