Conversão de frotas em veículos elétricos

    Meta inicial é converter cinco veículos em elétricos. Foto:Celesc/Divulgação/CSC

    A Celesc está desenvolvendo o projeto ConverTE, para conversão de carros de frotas públicas movidos a combustão em veículos elétricos. Entre os objetivos do trabalho, está testar a viabilidade dessa transformação, contribuir para a formatação de uma legislação acerca do tema e diminuir impactos ambientais.

    Nesta terça-feira (14), uma das etapas foi cumprida, com a inauguração de um eletroposto na Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (Alesc), em Florianópolis, e entrega em empréstimo do Veículo Zoe Elétrico para levantamento do perfil de usuário da frota pública.

    Maior financiadora, a Celesc está investindo R$ 5,4 milhões na iniciativa. Foram R$ 1,87 milhões no primeiro ano, e serão investidos mais R$ 3,53 milhões ao longo dos próximos dois anos de execução.

    Publicidade

    O projeto, oficialmente chamado de “Inserção de Veículos Elétricos em Frotas Públicas, através da Conversão de Veículos a Combustão Para Tração Elétrica”, começou a ser desenvolvido em outubro do ano passado, com previsão de conclusão em três anos.

    A meta é converter cinco veículos automotores leves de fabricação nacional, com peso efetivo máximo de até 1,5 toneladas. O trabalho projeta, implementa e testa dois sistemas de conversão de veículos a combustão para tração elétrica. Um dos sistemas utiliza tecnologia nacional, e é aplicado em dois carros. Já o outro sistema usa uma tecnologia importada (powertrain), aplicada em veículos protótipos leves.

    O primeiro sistema está em fase final de conversão, e a previsão é que o trabalho esteja concluído até dezembro deste ano. O segundo sistema está na fase de estudos, e será desenvolvido e concluído ao longo do próximo ano.

    O projeto também prevê a instalação de sete eletropostos, sendo quatro no campus Florianópolis do IFSC, onde dois deles já foram instalados, um dentro de um laboratório e outro no pátio interno do estacionamento. Os outros três ficarão em órgãos públicos da Capital, sendo um no Poder Judiciário, outro no Poder Executivo e outro no Poder Legislativo, inaugurado nesta terça.

    Publicidade