O gás de cozinha, como quase tudo, subiu muito de preço e pesa para as famílias, especialmente as de baixa renda. Segundo o IBGE, até outubro o preço do botijão subiu quatro vezes mais do que a inflação média do Brasil: 33,34% contra 8,24%.

De olho nisso, o congresso nacional criou uma lei para distribuir auxílio gás, para subsidiar o preço do botijão para famílias de baixa renda. Segundo a lei, sancionada pelo governo federal nessa segunda-feira (22/11), o auxílio será pago por cinco anos.

botijões de gás empilhados - Governo federal institui lei para auxílio gás às famílias de baixa renda
Marcello Casal/Ag Brasil/CSC

Quem pode receber o vale-gás?

Poderão receber o vale-gás famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) com renda familiar mensal per capita menor ou igual a R$ 550 e famílias que tenham pessoas comtempladas no Benefício de Prestação Continuada (BPC). Mulheres vítimas de violência doméstica e detentoras de medidas protetivas terão prioridade para o recebimento do auxílio gás.

Publicidade

As famílias beneficiadas terão direito, a cada bimestre, a um valor equivalente a, no mínimo, 50% da média do preço nacional de referência do botijão de 13 quilos nos últimos seis meses. Esse preço de referência é estabelecido pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

O pagamento só começará após o Poder Executivo disciplinar a organização e a operacionalização do auxílio, utilizando, no que couber, a estrutura do programa Bolsa Família ou de seu substituto, o Auxílio Brasil.

Preço médio de R$118 na Grande Florianópolis

Segundo a ANP o botijão de 13 quilos tinha preço médio no Brasil de R$ 75 em janeiro e chegou a R$ 103 em outubro. Em Santa Catarina esses valores eram de R$ 85 e passaram a R$ 110, em média, segundo dados da agência.

O Correio fez um levantamento com distribuidores de gás na Grande Florianópolis e constatou que, em média, o botijão de 13 quilos tem preço de R$ 118 para entrega em bairros próximos aos estabelecimentos. A variação, porém, pode ser de até 22% no valor, dependendo do distribuidor e se o consumidor quer receber em casa ou retirar no local. Há estabelecimentos em São José que cobram R$ 104 o botição de 13kg para retirada, enquanto em Florianópolis pode chegar a R$ 127 com entrega, na região continental. A maioria dos estabelecimentos está cobrando entre R$ 115 e R$ 120 para entrega.

Por Lucas Cervenka – reportagem@correiosc.com.br

Publicidade