Governo repassa mais de R$ 1,3 milhão para comitês de bacias de Santa Catarina

    rio chapecó formando um S em um vale com montanhas e campos
    Comitês de bacias hidrográficas estipulam as diretrizes da gestão hídrica no estado, como a do Rio Chapecó - Divulgação

    A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE) conclui o repasse de mais R$ 1,3 milhão para os comitês de bacias que gerenciam parte das bacias hidrográficas do estado.

    O repasse feito nesta semana, por meio da Secretaria Executiva do Meio Ambiente (Sema) tem como objetivo trazer mais qualidade e eficiência na gestão hídrica de Santa Catarina, por meio do fortalecimento dos comitês catarinenses.

    “Trabalhamos nas diretrizes do nosso governador, Carlos Moisés, de fomentar ações estaduais com foco na preservação e qualidade dos recursos hídricos alinhados ao desenvolvimento econômico”, destaca o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino.

    Publicidade

    Para o secretário executivo do Meio Ambiente (SEMA), Felipe Assunção Alencar os Comitês de Bacias, têm papel fundamental no amplo debate e planejamento de ações, “para um gerenciamento sustentável aliado à inovação que tragam resultados efetivos à qualidade dos nossos rios e mananciais”, reforça.

    Nos termos de colaboração assinados em 2018 para a operacionalização dos comitês das bacias hidrográficas dos Rios Chapecó e Irani, das Antas, do Peixe e Jacutinga e comitês de gerenciamento das bacias hidrográficas do Rio Canoas, Canoinhas e Timbó, foram definidos os respectivos gerenciamentos por meio das entidades executivas: Ecopef (Equipe Co-Gestora do Parque Estadual Fritz Plaumann) e Associação de Proteção das Águas do Planalto de Santa Catarina (Apasc).

    A diretora de Recursos Hídricos da SDE, Jaqueline Isabel de Souza, acrescenta que a qualidade dos recursos hídricos do Estado depende da “atuação conjunta das entidades, gestores públicos e sociedade, para um bem maior em prol do nosso meio ambiente e qualidade de vida da população”.

    + Nova adutora no Rio Cubatão deve garantir água na Grande Florianópolis por cinco anos

    Publicidade