Guarda começa a multar no Estreito na semana que vem, diz prefeitura

Guarda começa a multar no Estreito na semana que vem, diz prefeitura
Cobrança na zona azul do Estreito está vigente e GMF pretende iniciar aplicação de infrações - Lucas Cervenka/CSC

A zona azul voltou a funcionar no bairro Estreito, em Florianópolis, em 30 de agosto. São 240 vagas no bairro, que foram deslocadas em parte por conta de pintura de nova ciclovia na Rua Fúlvio Aducci e reclamação de comerciantes sobre a perda de vagas em frente aos estabelecimentos.

A região conta apenas com 2 monitores para vender créditos para a zona azul, porque o cálculo de proporção é de 1 funcionário para cada 120 vagas, ocasionando que motoristas dificilmente conseguem encontrar a pessoa para adquirir os créditos. De acordo com a prefeitura esse problema é minimizado já que os créditos da zona azul de Florianópolis podem ser adquiridos pelo aplicativo ou site da Rizzo Parking.

A prefeitura afirma também que a Guarda Municipal de Florianópolis ainda não está multando quem não estiver com o pagamento correto no estacionamento rotativo. O poder executivo municipal diz que durante essa semana os agentes fizeram um trabalho de conscientização para explicar que a zona azul está de volta à operação no Estreito e que a partir da semana que vem começarão a aplicar as multas, quando necessário.

Publicidade

As vagas da zona azul no Estreito estão em seis ruas: R. Henrique Boiteux, R. General Valgas Neves, R. Santos Saraiva, R. Bernadino Vaz, R. Secundino Peixoto e R. Heitor Blum.

A zona azul de Florianópolis está com o preço atualmente em R$ 2/hora para carros e R$ 1/hora para estacionamento de motocicletas. Os horários de funcionamento são de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h, e no sábado das 8h ao meio-dia.

Contratos

Ainda segundo a prefeitura não há, por enquanto, previsão de expansão do estacionamento rotativo pago na cidade sob o contrato emergencial com a Rizzo Parking.

A empresa começou a operar em agosto de 2020 na cidade com o primeiro contrato assinado 5 meses antes, com valor de R$ 1.714.188,00. Outros dois contratos com o mesmo valor já foram assinados sem licitação com a Rizzo, totalizando R$ 5.142.564, com vigência até 28 de dezembro.

Por Lucas Cervenka – reportagem@correiosc.com.br

Publicidade