Ministro da Infraestrutura garante conclusão do Contorno Viário para 2022

    ministro da infraestrutura tarcísio gomes deu prazo para o contorno viário - foto lucas cervenka csc
    Tarcísio Gomes, em visita à obra nesta segunda-feira (17/6) com o governador Carlos Moisés, deu a palavra que em 36 meses o contorno será entregue - Foto: Lucas Cervenka/CSC

    O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes, esteve em visita à obra do Contorno Viário da Grande Florianópolis nesta segunda-feira (17/6) e garantiu que o governo federal vai terminal o trabalho no segundo semestre de 2022. Em abril, na Alesc, representante da concessionária Autopista Litoral Sul afirmou que não havia prazo para a conclusão. Já em fevereiro de 2020, o Ministério Público Federal (MPF) firmou um termo de ajuste de conduta colocando maio de 2023 para a conclusão.

    Junto com o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, o ministro da infraestrutura percorreu algumas obras no estado nessa segunda, como a BR 470, o porto de Itajaí e o aeroporto de Florianópolis. Nesta terça-feira (18), ele inaugura a terceira faixa da Via Expressa, sentido São José-Florianópolis.

    No Contorno Viário, intersecção com a SC-281, em São José, uma comitiva de políticos municipais, estaduais e federais esperava pelo ministro, que ouviu alguns pedidos das prefeituras.

    Publicidade

    Em entrevista coletiva, Gomes destacou que a maior dificuldade para conclusão do contorno não são os túneis adicionais em Palhoça, e sim a característica de solo mole da região, o que necessita adensamentos que levam cerca de 9 meses.

    “É uma obra que tem suas complexidades, em função da geotecnia da região. Tem um grande problema de solo mole, que a gente vai trabalhar com aterros, que vão ter que receber sobrecarga pra prover o adensamento. São quatro túneis que serão construídos, uma quantidade muito grande de desapropriações e desalocações. Com isso a gente consegue estabelecer um cronograma de 36 meses da obra a partir daqui. Então a gente deve ter esse contorno concluído no segundo semestre de 2022, em função das várias complexidades”, disse o ministro da infraestrutura.

    Ele também afirma que em breve a nova empresa que faz os trabalhos vai contratar mais 900 pessoas para obra, o que dará um total de 2 mil pessoas trabalhando no contorno viário num momento de pico. “Então a gente tem certeza que vai entregar a obra em 2022”, garantiu.

    O ministro não quis comentar sobre a situação de atrasos até aqui, mas, quando questionado pelo Correio de Santa Catarina a respeito da tarifa de pedágio, afirmou que será corrigida em função da mudança do traçado do contorno, causado pela construção de um conjunto habitacional em Palhoça.

    Correio SC: A conclusão do contorno viário vai refletir na tarifa de pedágio na BR 101?

    Ministro Tarcísio Gomes: Em alguma medida vai, porque existe aquelas intervenções do contorno que estavam previstas no programa de exploração rodoviária, essas medidas foram feitas sem ônus, sem acréscimo na tarifa, mas observe que alguma modificação no traçado do contorno foi necessária. Houve um bairro que foi criado e que provocou um desvio no traçado original do contorno, e esse desvio está proporcionando ou vai ocasionar três tuneis a mais, que não estavam previstos no escopo original da concessão. Então isso demanda um reequilíbrio econômico e financeiro do contrato e obviamente tem um reflexo na tarifa.

    Em agosto de 2020, a tarifa de pedágio em Santa Catarina subiu 44,44%, passando de R$ 2,70 para R$ 3,90. O reajuste teve impacto por conta das obras do Contorno Viário e da terceira faixa, esta última com inicio previsto para fevereiro de 2021.

    Já o governador Carlos Moisés se mostrou confiante quanto à conclusão em 2022. “Não se pode vender ilusões aqui. Há um processo de adensamento de solo que tem que ser aguardado”, disse o governador. Para Moisés, o governo federal, com a visita do ministro da infraestrutura, entendeu a importância dessas obras para o estado.

    A prefeita Adeliana Dal Pont, de São José, e o prefeito Camilo Martins, de Palhoça, estavam no local para mostrar a situação de cada município e fazer pedidos para a pasta federal. Além dos prefeitos, também estavam presentes os senadores Dário Berger, Espiridião Amin e Jorginho Mello, os deputados federais Hélio Costa, Ângela Amin e Rogério Peninha, vereadores e o deputado estadual João Amin, que tentou cobrar celeridade do ministro para a obra.

    Publicidade