Novos prefeitos são eleitos em Porto Belo e Presidente Castello Branco

Duas cidades catarinenses passaram por eleições suplementares neste domingo (5) para eleger os novos administradores dos municípios. Em Porto Belo, foi eleito para prefeito o candidato Joel Orlando Lucinda (MDB) e para vice-prefeito Ailto Neckel de Souza (PL). A chapa denominada “Porto Belo Não Pode Parar” obteve 6.076 votos (77,58%).

Em Presidente Castello Branco, foram eleitos Neiva Kleemann Tonielo (MDB) e Alfeu Miotto (PL) para os cargos de prefeito e vice-prefeito, respectivamente. Eles concorreram pela chapa “Unindo Forças para a Renovação”, que recebeu 803 votos (57,11%).

Votação

Voltaram às urnas neste domingo 8.479 eleitores e eleitoras de Porto Belo, o que representa 57,33% do eleitorado apto a votar na eleição suplementar (14.791). O percentual de abstenção ficou em 42,67% (6.352 eleitores). Foram contabilizados 306 votos em branco (3,61%) e 341 votos nulos (4,02%).

Publicidade

A eleição aconteceu de forma tranquila, sem ocorrência que pudesse comprometer a normalidade dos trabalhos. Não houve necessidade de troca de nenhuma das 41 urnas eletrônicas utilizadas nas seções eleitorais. A votação encerrou às 17h e a totalização dos votos foi concluída às 18h05′.

Já em Presidente Castello Branco, compareceram às urnas neste domingo 1.421 eleitores e eleitoras, o que representa 95,31% do eleitorado apto a votar na nova eleição (1.491). A abstenção ficou em 4,69% (70 eleitores). Foram registrados 3 votos em branco (0,22%) e 12 votos nulos (0,84%).

A votação também ocorreu com tranquilidade e nenhuma das cinco urnas utilizadas nas seções eleitorais teve que ser substituída. A apuração dos votos encerrou às 17h30′.

“É o que a Justiça Eleitoral sabe fazer, vem fazendo e vai continuar fazendo. O que queremos é que seja desmistificada essa questão da dúvida que colocam na urna eletrônica. Então, estamos evoluindo por conta dessa necessidade de mostrar para o eleitor que o nosso trabalho é transparente, sério e honesto”, afirmou o presidente do TRE-SC, desembargador Leopoldo Augusto Brüggemann.

Em ambas cidades não houve qualquer ocorrência de prática de crime eleitoral.

Auditorias

Durante a eleição em Porto Belo, foram realizados diversos procedimentos de auditoria da urna na Escola de Educação Básica Tiradentes, maior colégio eleitoral do município. A primeira teve início logo cedo, às 7h30, na seção nº 214, para verificar a autenticidade e a integridade dos sistemas. Foi conferido se o programa, arquivos e assinaturas digitais correspondem aos desenvolvidos pela Justiça Eleitoral.

De forma simultânea à votação oficial, às 8h, teve continuidade a auditoria de funcionamento da urna em condições normais de uso em local visível e de fácil acesso ao público, montado na escola. A urna da seção nº 225, sorteada na véspera do pleito, chegou escoltada pela Polícia Militar, juntamente com a urna de lona onde foram depositadas 239 cédulas de papel utilizadas para a votação dos estudantes voluntários da ação.

Advogadas e advogados de três subseções da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) – Camboriú, Balneário Camboriú e Vale do Rio Tijucas -, fizeram a leitura das cédulas de papel e a digitação na urna eletrônica dos votos atribuídos pelos estudantes, além de registrá-los em um computador da Justiça Eleitoral.

Após o término dessa espécie de votação paralela (não oficial), foi feita a comparação dos três resultados: o do Boletim de Urna, o da soma dos votos em células de papel e o registrado no computador. Os resultados iguais comprovaram a segurança do sistema de votação eletrônico. Todo o procedimento pode ser acompanhado de forma transparente em tempo real pelo canal do TRE-SC no YouTube.

“A OAB cidadã, como representante da sociedade, tem total interesse em demonstrar, de maneira imparcial, que o sistema das urnas eletrônicas é seguro. Nosso objetivo aqui é comprovar a veracidade, a credibilidade desse sistema. O nosso papel é certificar a transparência da Justiça Eleitoral”, disse a presidente da Comissão de Direito Eleitoral da OAB-SC, Claudia Bressan Brincas.

Novidade

Outra auditoria foi realizada de forma experimental em Porto Belo e teve caráter inédito, abrangendo a totalização dos votos oficiais da eleição. Utilizando a ferramenta QR Toth, desenvolvida pelo TRE-SC em parceria com a OAB, mesários e advogados puderam fazer a leitura do QR Code de cada Boletim de Urna (BU) e obter a soma dos votos computados nas seções eleitorais.

O BU é o extrato em papel emitido pela urna eletrônica ao final do pleito, após às 17h, contento os votos depositados para cada candidato na respectiva seção eleitoral, bem como os votos em branco e nulos.

Com a somatória dos boletins de urna em mãos, os presentes puderam atestar o resultado da eleição divulgado pelo Tribunal. “A nossa ideia é que a gente consiga uma entidade parceira para que todo o cidadão possa realizar essa leitura e ajudar a fazer uma totalização independente da Justiça Eleitoral, como mais uma forma de fiscalização e transparência do processo eleitoral”, explicou o secretário de Tecnologia da Informação do TRE-SC, Álvaro Sampaio Corrêa Neto.

Publicidade