ary candido filho presidente pt são josé
Ary Cândido Martins Filho, presidente do PT em São José: “Lutamos por Lula livre, mas não é a nossa política para São José” - Lucas Cervenka/CSC

Já disputou quatro vezes a eleição para vereador em São José, sempre ficou como o segundo mais votado do partido (o primeiro foi Antônio Battisti), e como suplente assumiu uma cadeira na Câmara, é um petista da velha guarda. Ary Cândido Martins Filho é o novo presidente do PT de São José, aceitou o desafio porque “agora estou aposentado e tenho mais tempo para me dedicar a essa função”, diz, e aposta em um bom desempenho partidário na próxima eleição municipal – prefeito e vereador.

Nesta entrevista ao Correio de Santa Catarina, que dá sequência a uma série com presidentes de partidos políticos em São José, Ary coloca como o partido está se preparando para 2020, anuncia algumas propostas, principalmente na área social.

Correio – Como o PT de São José está se preparando para as eleições de 2020?
Ary Martins Filho – Recentemente o PT de São José teve as eleições internas, quando teve a oportunidade de resgatar muitos filiados dos dois mil filiados que tem em São José. Estamos nos reorganizando e trazendo de volta o nosso público também com vistas às eleições municipais, e nessa corrida em que fui eleito presidente, já traçamos esta meta: compor as 28 vagas de candidatos a vereador, vamos tentar cumprir essa nominata para poder voltarmos com um ou dois vereadores no município. Além disso, concorrer com o prefeito, ainda não temos o nome, haverá discussão no partido, mas já temos uma nominata para vereador bastante consistente, diferente das eleições anterior em que tivemos apenas seis candidatos a vereador. Esses seis candidatos foram em virtude de uma ruptura que houve do antigo presidente do PT, Cirio Vandresen, que era o candidato a prefeito e ele se afastou, levou alguns que seriam candidatos. Aí o Battisti (Antônio) foi para o sacrifício, como nosso candidato a prefeito. Ele teria sido candidato vereador, mas não tínhamos mais tempo para preparar um novo nome.

Publicidade

Correio – Para o partido fazer dois vereadores precisa em torno de 15 mil votos, vai ter que dar um salto em relação as últimas eleições?
Ary Martins Filho – Nós teremos qualidade maior de candidatos e a quantidade também. Volta o Battisti, teremos 28 candidatos, temos o Geraldo, a Jumeri, o Chico Silvi.

Correio – Agora o partido está mais unido em São José?
Ary Martins Filho – Nessa corrida em que fui eleito presidente, já traçamos uma meta que é compor as 28 vagas de candidatos a vereador, vamos tentar cumprir essa nominata para poder voltarmos com um ou dois vereadores em São José, além disso concorrer com o prefeito. Ainda não temos o nome, haverá discussão no partido.

Correio – Onde o PT buscará forças para se reorganizar?
Ary Martins Filho – Estamos nos reorganizando. Uma coisa peculiar: o PT é o partido que mais tem filiados no Brasil e isso não é diferente aqui no município. De 2016 para cá, desde o impeachment da Dilma, o PT tem em torno de um milhão e setecentos mil e foi para dois milhões e quatrocentos mil filiados, cresceu em torno de seiscentos mil filiados nos últimos quatro anos.

Correio – Quantos deputados o PT tem na Assembleia Legislativa?
Ary Martins Filho – Tem três: a Luciane Carminatti, o Fabiano da Luz e o padre Pedro Baldissera.

Correio – O PT vai ter candidato a prefeito em São José?
Ary Martins Filho – Vai ter candidato a prefeito sim. Temos a possibilidade de uma discussão com os partidos de esquerda. Já iniciamos umas conversas, está em aberto, não estamos forçando qualquer posição de cabeça de chapa. Estamos conversando com os partidos para escolher um nome que possa representar esses partidos, cuja a intenção é transformar a Prefeitura de São José mais participativa, ou seja, trazer mais a população a participar. Somos o quarto em arrecadação, é um município onde dinheiro não falta.

“O PT é o partido que mais tem filiados no Brasil”

Correio – O PT defende a unidade das esquerdas, mas nem na Câmara de Vereadores tem um de esquerda. O que fazer?
Ary Martins Filho – Compreendemos que falta a esquerda se aproximar, até para se contrapor à política do governo federal, que é totalmente adversa àquilo que pregamos. O desmantelamento das empresas nacionais, a forma de entregar as nossas empresas com o neoliberalismo, que vai reduzir muito as conquistas sociais que tivemos ao longo do tempo, então é necessário que nos unamos, mesmo em âmbito municipal, para que possamos traçar em conjunto uma diretriz para trazer um pouco mais de conforto à população josefense, pensando em escolas, saúde, mas para isso a nossa intenção é aumentar a participação popular e também com uma característica que é São José. No município o que geralmente acontece é que o mesmo grupo assume e reassume, são pessoas que já compuseram, já estiveram no mesmo partido, pulam de um para o outro. Nossa intenção é mostrar para a população que há uma possibilidade de fazer uma política diferente, e nós somos uma opção, junto ou não com os outros partidos. Isso vai ser decidido em convenção.

Correio – Quando é a convenção?
Ary Martins Filho – Em março começam as movimentações internas. As convenções ocorrem em junho ou julho.

Correio – Qual a proposta do PT, o que foca para chegar na prefeitura. Em Brasília fala-se que a bandeira do PT em 2020 é Lula livre. O que significa isso?
Ary Martins Filho – Lula livre é uma das bandeiras do PT. Nós compreendemos que o Lula é um preso político, se não fosse assim, não teriam as provas recentemente das gravações, dos procuradores e do então juiz (Sérgio) Moro que deu o entendimento de que houve um direcionamento para que o Lula fosse preso, porque o Lula seria eleito. Não tenho dúvidas disso. O Lula livre é todo o PT. Estamos lutando para libertar o Lula, mas isso não é nossa política para São José, nossa política para São José é transformar a cidade para a população, trazer benefícios, mais inclusão social. É para isso que serve o município, para quem quer só construções, edifícios não, queremos um município participativo onde as pessoas têm direito a saúde, educação. Tudo isso público, porque há uma intenção com orientação do governo federal que posteriormente tudo isso se torne privado e a gente vai lutar cada vez mais por políticas públicas para o município, com a participação popular. Esse é o diferencial do nosso partido, queremos que a população indique onde há o problema para que possamos, com os recursos, resolver.

Correio – O sr. já foi candidato a vereador?
Ary Martins Filho – Fui candidato quatro vezes, já assumi como vereador, fui suplente do Battisti por duas vezes, por três vezes fui o segundo mais votado. Na última eleição eu tive 1.190 votos.

Correio – Qual o nome mais forte para candidato a prefeito?
Ary Martins Filho – Temos o Battisti, a Jumeri …

Correio – Como o sr. avalia a Câmara hoje?
Ary Martins Filho – Notamos um corporativismo entre alguns grupos na Câmara, obviamente isso faz parte da política e ai isso faz com que muitas vezes o prefeito tenha muita liberdade para tomar ações que não são muitas vezes benéficas ao município. Quando (o prefeito) tem a maioria na Câmara sem alguém para contestar, ele fica livre para fazer o que bem entende, e no nosso entendimento a oposição é salutar, uma oposição que também tenha uma responsabilidade com as coisas do município. Um vereador, além de fiscalizador, vai criar as leis, portanto tem que estar despido de muitas coisas que as vezes atrapalham, ou seja, compromisso econômico com os grupos, isso nós combatemos. Muitas pessoas têm ali uma carreira apenas individual.

Correio – E sua avaliação do Executivo?
Ary Martins  A Prefeitura de São José está muito alheia aos problemas do município, aliás desde o início, nem na reta final para a eleição vindoura, nem aqueles trabalhos paliativos estão sendo realizados. Sabemos que há muita coisa eleitoreira também. A cidade vizinha tem uma carga enorme de obras acontecendo, mas aqui estamos abandonados, não é o que estou falando, é o que a população fala.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here