Operação policial captura 2 e mata 1 de trio de bandidos da Grande Florianópolis

Forças de segurança tentavam capturar há meses os criminosos; dois foram presos e um morreu

Três bandidos responsáveis por dezenas de crimes na Grande Florianópolis são capturados
Quadrilha roubava e matava na cidades da região da capital; foram pegos no Pedregal, em São José - PMSC/Divulgação/CSC

Três bandidos que cometerem dezenas de crimes na Grande Florianópolis tiveram a trajetória de violações interrompida por uma grande operação policial na madrugada de sábado (17/6)em São José. Dois foram presos e um foi morto em confronto com as forças de segurança, quando tentou matar os policiais que os caçavam.

Segundo a Polícia Militar foram oitos meses de serviços de inteligência e investigação para localizar e prender a quadrilha. Eles são responsáveis por mais de 70 crimes na região da Grande Florianópolis, a maioria com uso de violência física.

Os crimes praticados pelo trio são de latrocínio, roubo, extorsão mediante sequestro, cárcere privado, porte ilegal de arma de fogo, entre outros. Nos últimos dias o grupo de ladrões continuava roubando e era procurado no sul de Palhoça. Eles fizeram uma família refém e foram se esconder na comunidade do Pedregal, em São José, onde acreditavam que ficariam impunes.

Publicidade

Iniciou-se então uma grande operação, reunindo diversas forças de segurança – polícia militar, civil, rodoviária federal e guarda de São José. Mais de 60 agentes participaram da captura.

Durante vários dias, foram realizadas inúmeras tentativas de localizar o bando de criminosos, que se escondia em área de mata. Foram empregados diversas ferramentas e equipamentos, além de inúmeros policiais, aeronaves, patrulhas com cães, equipes táticas, barreiras e serviço de inteligência, que permaneceram na região da comunidade do Pedregal, em São José, de forma ininterrupta.

Com a localização dos criminosos, os policiais avançaram e conseguiram prendê-los. Um deles foi alvejado pelos policiais quando tentou atirar para matar os agentes. Um deles usava colete à prova de balas roubado de empresa de segurança. Os três eram responsáveis por executar crimes com outros ladrões da região, que também são procurados.

Publicidade