Para a Epagri, temperatura do mar é responsável por mais baleias em SC

    Nesse ano já foram três mortes de cetáceos em redes de pesca

    Uma elevação na temperatura do mar pode estar influenciando a presença de baleias jubarte (Megaptera novaeanglie) no Litoral catarinense neste ano. O biólogo Luiz Vianna, da Epagri, avalia que desde o início do outono foi observado um aumento da temperatura da superfície do mar (TSM) no Oceano Atlântico sul. Durante o mês de abril, a TSM na costa de Santa Catarina apresentou valores de até 1,3°C acima do normal, alcançando 24,5°C. Até a segunda semana de junho, ainda era possível observar valores 1°C acima do normal, de acordo com o monitoramento de anomalia da TSM do Worldview. “Suspeitamos que esse fenômeno possa ser um dos motivos para elas terem se aproximado e ficado por tanto tempo no nosso litoral”, explica.

    baleia com cauda para fora no litoral de santa catarina
    Maior presença dos cetáceos na costa catarinense fora de época – João Vianna/Epagri/Divulgação/CSC

    Segundo o pesquisador, um dos principais fatores que influenciam o movimento migratório das baleias jubarte na costa brasileira é a temperatura superficial do mar. “Existe uma alta correlação entre a densidade de baleias no período de reprodução e a temperatura superficial da água, com picos de densidade em áreas onde as temperaturas se mantêm entre 24o e 25oC”, explica.

    Nesse ano já foram registrados três óbitos de cetáceos presos em redes de pesca em Santa Catarina. As baleias jubarte frequentam a costa brasileira desde o Rio Grande do Sul até o Pará. De acordo com informações do Projeto Baleia Jubarte, na época de reprodução, que vai de julho a novembro, elas migram dos mares antárticos, onde se alimentam durante o verão, em direção ao norte em busca de águas mais quentes. Isso ocorre porque os filhotes recém-nascidos ainda não acumularam gordura suficiente para resistirem às águas mais frias.

    Publicidade