agente usando colete da prefeitura se abaixa para mexer em um plástico que cobre monte de areia em uma espécie de tanque
Agentes de endemias da Secretaria de Saúde fazem fiscalizações na cidade diariamente - Foto: PMP

A rotina da Vigilância Epidemiológica nos municípios se intensificou nos últimos anos, com os surtos de dengue, chikungunya e zika vírus, doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti.

Em palhoça, dezoito agentes de endemias trabalham diariamente com o auxílio de oito motocicletas e dois automóveis para barrar a proliferação do mosquito e encontraram 80 focos (com larvas) de janeiro até agora na cidade. Os bairros com maior número de focos são Centro, Ponte do Imaruim, Bela Vista, Passa Vinte e Brejaru.

Os profissionais fiscalizam 490 armadilhas por semana em comércios e residências, instaladas em 123 pontos estratégicos que podem apresentar larvas do mosquito espalhados por todo o município em fábricas de móveis, ferros-velhos, empresas de reciclagem, cemitérios, etc para coletar materiais.

Publicidade

Quando o laboratório municipal confirma que o material coletado refere-se ao mosquito da dengue, a vigilância em saúde abre um raio de 300 metros a partir do foco para verificar locais suspeitos. O combate é feito através da eliminação da larva do inseto com concretização, orientação, descarte adequado de recipientes, entre outros, para que esta não se desenvolva em mosquito, não contraia o vírus e não transmita a doença pela picada.

Segundo a Secretaria de Saúde, até o momento, em Palhoça, não há casos de dengue, chikungunya ou zika vírus contraídos no município. Houve apenas casos importados (contraídos fora da cidade). Denúncias de locais ou situações suspeitas podem ser feitas para o setor de Vigilância Ambiental da Secretaria de Saúde por meio do número (48) 3047-5566.

SC tem 74 municípios infestados pelo Aedes Aegypti

De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive), o Estado tem 74 municípios infestados pelo Aedes aegypti. No mesmo período do ano passado, eram 61 municípios infestados. O dado atualizado no início de setembro revela um aumento de 21,3% no número de cidades infestadas pelo mosquito transmissor da dengue, febre chikungunya e zika vírus.

Publicidade
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here