Santa Catarina prepara vacinação em período de maior incidência da febre amarela

    Com três mortes registradas nesse ano, Santa Catarina se prepara para iniciar campanha de vacinação contra Febre Amarela no período de maior incidência – de dezembro a maio.

    O Ministério da Saúde faz, nesta semana, um curso preparatório para orientar a campanha e os profissionais de saúde de modo a lidar com os dados relacionados à doença.

    No Brasil, a febre amarela é transmitida pelos mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes. Os macacos, que vivem no mesmo ambiente silvestre que esses mosquitos, são as primeiras vítimas da doença - José Damacena/Fiocruz/Divulgação/CSC
    No Brasil, a febre amarela é transmitida pelos mosquitos Haemagogus e Sabethes; macacos que vivem no mesmo ambiente que esses mosquitos geralmente são as primeiras vítimas da doença – José Damacena/Fiocruz/Divulgação/CSCmare

    “O objetivo é reforçar mais uma vez as ações de prevenção em Santa Catarina antes desse período: acompanhar a circulação do vírus pelo estado, que acontece a partir das notificações das epizootias (morte ou adoecimento de macacos), estimular a vacinação da população e também preparar os profissionais de saúde para suspeição e notificação da doença”, explica João Augusto Brancher Fuck, diretor da Dive.

    Publicidade

    A febre amarela é uma doença grave e evolui rapidamente, se não for diagnosticada e tratada imediatamente. Os principais sintomas são início abrupto de febre, calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas e no corpo, náuseas e vômitos, fraqueza e cansaço, dor abdominal. A pele amarelada é um dos indicativos de gravidade.

    A ocorrência sazonal da febre é relacionada às condições ambientais, climáticas e epidemiológicas favoráveis à transmissão. “As altas temperaturas, períodos de chuva e alta densidade de vetores (mosquitos transmissores da doença) são propícios para ocorrências de surtos,” explica Renata Gatti, bióloga e coordenadora do Programa de Vigilância da Febre Amarela em SC.

    Vacina

    A melhor maneira de prevenir a febre amarela em humanos é através da vacinação. O estado é área de recomendação para vacinação desde o segundo semestre de 2018. Atualmente, a cobertura vacinal é de 79,52%. O ideal, segundo o MS, é que 95% do público-alvo esteja imunizado contra a doença para evitar surtos.

    Casos: 3 mortes em 2021

    Nesse ano, o estado já registrou oito casos de febre amarela. Do total, três acabaram evoluindo para óbito, nos municípios de Águas Mornas (1), Blumenau (1) e São Bonifácio (1). Santa Catarina também já tem o registro de 136 mortes de macacos confirmadas por febre amarela.

    [Com informações da Dive]

    Publicidade