Casan destaca o planejamento hídrico e aumento da capacidade do sistema como resultados de 2021

    Casan destaca o planejamento hídrico e aumento da capacidade do sistema como resultados de 2021
    No ano em que completou 50 anos, a Casan deixa para Santa Catarina a marca do Planejamento Hídrico e da expansão do esgotamento sanitário - Casan/Divulgação/CSC

    Com suporte financeiro de R$ 1,7 bilhão do Governo do Estado, que estabeleceu a segurança hídrica como uma de suas prioridades, a Casan deu início ao maior aporte de recursos de sua história em infraestrutura de abastecimento.

    São obras para ampliação da capacidade de produção de água, com 50 projetos para implantação ou modernização de Estações de Tratamento de Água. A companhia afirma que esse investimento permitirá que o sistema que opera, atualmente integrado por 194 municípios, a capacidade de produção de água seja mais do que duplicada.

    Os recursos são aplicados em mais de 180 obras para implantação de novos reservatórios, 30 para ampliação de redes de adução e distribuição de água e mais de 50 perfurações de novos poços em todo o Estado. Uma das principais frentes de trabalho é o Projeto Chapecozinho, maior obra de abastecimento de água em Santa Catarina. Com 58 quilômetros de adutoras, reservatórios, estações de recalque (bombeamento) e de tratamento de água, O Chapecozinho vai beneficiar a população de Cordilheira Alta, Chapecó, Xaxim e Xanxerê.

    Publicidade

    “Com economias geradas em dois anos desta Diretoria formada por profissionais de carreira, e com o Planejamento Hídrico sendo uma das metas do Governo Carlos Moisés, a Casan prepara as cidades para os momentos de crise hídrica e para o crescimento da população, garantindo um bem essencial para a saúde e qualidade de vida”, destaca o diretor-presidente em exercício, Evandro André Martins.

    A segurança hídrica recebeu atenção também com foco na temporada 2021/2022. Integrada à Operação Verão Mais Seguro, do Governo de Santa Catarina, a Casan investiu quase R$ 45 milhões em infraestrutura de água e esgoto para receber turistas na temporada que se inicia com Santa Carina.

    No campo do esgotamento sanitário, 10 obras foram finalizadas em 2021, beneficiando as cidades de Araquari (Bairro Itinga), Chapecó (Bairro Efapi), Concórdia, Criciúma, Curitibanos, Ibirama, Indaial (Bairro Tapajós), São José (Ponta de Baixo e Centro Histórico), Maravilha e Florianópolis (Monte Cristo).

    Na capital, a companhia possui em andamento a ampliação do Sistema de Esgoto Insular e a implantação do sistema Saco-Grande/Monte Verde e do Sistema Ingleses/Santinho – projetos que em conjunto somam investimentos de mais de R$ 340 milhões.

    No horizonte de 2022, está encaminhada a maior obra de esgotamento sanitário de Santa Catarina, a desativação das lagoas de estabilização de Potecas, em São José, e a construção de uma nova e moderna Estação de Tratamento.

    Outros dois programas – o Trato pelo Lajeado São José, em Chapecó, e o Trato pelo Rio Araújo, no município de São José – estão sendo iniciados para fiscalização, orientações e diálogo com as comunidades para melhoria do uso da infraestrutura de coleta e tratamento de esgotos.

    Marco do saneamento

    A companhia prossegue também seu trabalho para ingressar na nova fase regida pelo Marco do Saneamento. Um dos fatos relevantes nesta caminhada foi o retorno positivo obtido junto ao mercado de capitais para obtenção dos recursos necessários à expansão dos serviços de abastecimento, de coleta e de tratamento de esgotos, como exige a nova legislação.

    Prospecção indicativa realizada pela Casan para captação de R$ 2,4 bilhões, valor avaliado como necessário para a primeira etapa de cumprimento das exigências do Novo Marco do Saneam

    Publicidade