A capital catarinense ganhou um novo museu. Aberto ao público nessa quarta-feira (24/11), o Museu de Florianópolis Sérgio Grando, em homenagem ao ex-prefeito, é sediado no prédio da antiga Casa de Câmara e Cadeia, fruto de uma parceria do Sesc com a prefeitura.

Sua concepção é oferecer o território municipal como objeto de reflexão e idealizado para atuar como um grande portal de acesso ao município, onde é possível conhecer a cidade, de forma interativa, e compreendê-la em sua contemporaneidade.

fachada do museu de florianópolis
Museu fica no prédio da antiga Casa de Câmara e Cadeia – PMF/CSC

Nesse sentido, afirma o Sesc, o Museu de Florianópolis pretende contextualizar a questão “quantas cidades cabem em uma cidade?”, trazendo aspectos de memória, tempo presente e possibilidades de modo a instigar um diálogo.

Publicidade

Utilizando diferentes tecnologias e expondo acervos importantes, o espaço almeja trazer as pessoas para abordar questões emergentes, pensar a história e discutir o amanhã, tendo como prioridade o interesse público e ações de democratização do acesso e do conhecimento sobre a própria cidade, a história de seus povos e as diferentes expressões culturais.

maquete da olha de florianópolis dentro do museu
Motivado pela questão “Quantas cidades cabem dentro de uma mesma cidade?”, o Museu de Florianópolis se projeta como espaço que busca auxiliar o visitante no processo de entendimento sobre sua realidade e de transformação dessa mesma realidade – PMF/CSC
O ESPAÇO

O Museu de Florianópolis, na Praça XV, foi restaurado e, em outubro de 2019, começou a ser montado. Em função da pandemia a inauguração foi adiada (ocorrida nessa terça, 23) e, agora, está aberto, de segunda a sexta-feira, das 9h às 19h e aos finais de semana e feriados das 10h às 16h, com valor de ingresso de R$ 10.

Seu espaço físico está dividido em dois prédios, o sobrado histórico da antiga Casa de Câmara e Cadeia, de 865m², cujo início das obras data de 1771 e entrega pública em 1780, e o edifício administrativo, erguido durante as obras de restauro do edifício histórico, no ano de 2015. Dividido em dois pisos, há três salas expositivas piso térreo: “Um Edifício, Muitas Memórias”, com as histórias do prédio, sua trajetória de uso e processo de restauração; “Vozes da Cidade”, com depoimentos que buscam refletir as múltiplas vozes que compõem a cidade; e uma sala de exposição temporária, que abre com uma mostra interativa sobre o Boi de Mamão. Além deles, há ainda a recepção, a Sala do Educativo dedicada para o desenvolvimento de ações educativas, oficinas e palestras, e um ambiente voltado para reserva técnica, cujo acervo atual foi formado por doações, empréstimos de instituições parceiras e colecionadores de Florianópolis, e coleta advindas das escavações arqueológicas realizadas entre os anos de 2009 e 2018, e conta hoje com cerca de 11 mil peças

De 24 de novembro até 3 de dezembro as visitas serão gratuitas e estão sujeitas à lotação. A visita pode ser agendada pelo e-mail museu@sesc-sc.com.br ou fone 3222-1333.

Publicidade