Segurança Pública encerra operação veraneio com índices positivos

guarda-vidas em jet ski passando por ondas em uma praia
Para os bombeiros, maior quantidade de ações preventivas resultou em menor necessidade de operações de resgate de afogamento - Foto: CMB/SC

A operação veraneio 2018/19, da Secretaria de Segurança Pública estadual, se encerrou oficialmente nesta segunda-feira (11/3) com índices positivos dos bombeiros e polícias.

Segundo a cúpula de Segurança, houve redução de 43% no número de homicídios, 32% nos roubos e 21% nos furtos e aumento de 22% nas ações preventivas do Corpo de Bombeiros.

Os dados foram apresentados pelo colegiado da Segurança Pública durante coletiva de imprensa, nesta segunda, em Florianópolis.

Publicidade

Para o atual secretário de Segurança, o coronel Araújo Gomes, a melhora é resultado da integração das corporações. De acordo com ele, o foco está totalmente voltado para a entrega de resultados. “Quando falamos dos homicídios, foram 62 a menos do que na Operação Veraneio do ano passado. Tivemos também aproximadamente 600 roubos e quase 3 mil furtos a menos”, diz o comandante-geral da PM.

Ações preventivas

Nesta edição da Operação Veraneio, os mais de R$ 12 milhões investidos e aplicados para a manutenção dos profissionais e postos guarda-vidas resultaram em recorde no índice de ações de preventivas.

De acordo com coronel Edupércio Pratts, comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar, como consequência da forte prevenção, o CBM reduziu o número de salvamentos (ações em afogamentos e arrastamentos com recuperação da vítima) para 2.832, demonstrando que houve menor necessidade de atuar em salvamentos nos locais em que há a atuação preventiva dos Guarda-vidas.

Nos balneários onde não houve atuação dos bombeiros, ocorrem 17 mortes por afogamento. Com os locais mapeados, os Bombeiros esperam para a próxima temporada guarnecer essas áreas, aumento a prevenção.

Pelo segundo ano consecutivo, policiais da província de Misiones, na Argentina, participaram da Operação Veraneio catarinense. Eles ajudaram no atendimento aos turistas estrangeiros — não apenas do país vizinho, mas também de outras nações de língua espanhola. O tenente-coronel Claudio Ludke comemorou os dados de redução da criminalidade e afirmou que o objetivo nas próximas temporadas é aumentar o número de militares argentinos em terras catarinenses.

Publicidade