CCR vence leilão da BR 101 Sul com proposta de R$ 1,97 para cada pedágio

    Três empresas participaram do certame na Bolsa de Valores de SP

    quatro homens seguram martelo sobre balcão sorrindo para a câmera com telão ao fundo
    Com três empresas concorrentes, a CCR venceu com a menor tarifa proposta: R$ 1,9712 para cada uma das quatro praças de pedágio - ANTT/Divulgação/CSC

    O grupo CCR confirmou a tendência e conseguiu vencer o leilão de concessão do trecho sul da BR 101 em Santa Catarina. Realizado na manhã desta sexta-feira (21/2) na Bolsa de Valores de São Paulo, a companhia apresentou proposta de R$ 1,9712 para cada uma das quatro praças de pedágio. A BR 101 no estado gaúcho também é administrada pela CCR.

    A escolha, de acordo com o edital, era por menor valor de tarifa. A EcoRodovias apresentou proposta de tarifa de R$ 2,5116 e o Consórcio Way tarifa de R$ 4,35985. A Arteris havia desistido do certame.

    Segundo a ANTT, que realizou o leilão junto com o Ministério da Infraestrutura, o deságio do leilão foi de 62,04% – a tarifa máxima possível era de R$ 5,19.

    Publicidade

    Segundo o ministério, deverão ser investidos R$ 7,4 bilhões no trecho de 220 km da rodovia, entre Paulo Lopes e São João do Sul, 10 km antes da divisa com o estado do Rio Grande do Sul. O montante de investimento se refere à construção das quatro praças de pedágio, 70 km de vias marginais, 98 km de faixas adicionais, 25 pontos de ônibus, 18 passarelas e 23 rotatórias.

    placa com inscrição br 101 sul ao lado da rodovia em dia de sol passando carros e caminhão
    Trecho de 220 km, de Paulo Lopes a São João do Sul, terá quatro praças de pedágio e passará por algumas obras de melhorias – MI/Divulgação/CSC

    A projeção inicial é de que o retorno de ISS para os 17 municípios do trecho seria na ordem de R$ 645 milhões, com a cobrança de pedágio, caso fosse a tarifa máxima. Agora o ministério deverá divulgar uma nova possível arrecadação para as cidades, cujas populações não são a favor dos quatro pontos de cobrança. Há também a previsão de geração de 4 mil empregos com as obras de concessão, nos cálculos da pasta de Infraestrutura.

    Publicidade