UFSC suspende retorno presencial por tempo indeterminado

    Devido à aceleração dos casos de contágio pela Covid-19, a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) decidiu suspender por tempo indeterminado o retorno às atividades presenciais. A decisão da administração foi assinada nesta sexta-feira (7/1).

    O início da chamada fase 2, que é o retorno, em todas as unidades administrativas e acadêmicas da UFSC estava marcado para a próxima segunda-feira (10/1).

    Deveriam voltar às atividades presenciais todos os servidores que não pertencem a nenhum grupo de risco. O retorno seria realizado conforme plano de atividades elaborado pelo setor, levando em conta as condições sanitárias do ambiente de trabalho.

    Publicidade

    Segundo a UFSC, ante as notícias de aumento de casos de Covid-19 e lotação das unidades públicas e privadas de saúde, a reitoria promoveu na quarta-feira (5) uma reunião com representantes da comissão de monitoramento epidemiológico. Após a reunião, a reitora em exercício, Cátia Regina de Carvalho Pinto, enviou ofício à Comissão solicitando nova avalição da retomada das atividades presenciais.

    + UDESC confirma data de retorno presencial

    A comissão destacou ainda a confirmação de transmissão comunitária da variante Ômicron em Santa Catarina e o grande aumento no percentual de casos positivos em testes de Covid realizados nos últimos dias. “Esse cenário já tem levado pressão ao sistema de saúde, nesse momento lotando unidades de saúde em busca de testes de diagnósticos e pacientes com sintomas de síndrome gripal”. Por isso, a comissão manifestou-se contrária ao início da Fase 2 de retomada das atividades presenciais em 10 de janeiro.

    HU pede por cuidados

    Manifestação da diretoria do Hospital Universitário (HU) da UFSC também avalia que é preciso tomar medidas de cuidados para evitar contaminação pelo coronavírus, principalmente com a chegada do verão.

    “A chegada de turistas em regiões como Florianópolis, a possibilidade de aglomerações mesmo em locais públicos e a retomada de diversas atividades favorecem o surgimento de novos casos, por isso também é importante que a população mantenha hábitos como o uso de máscara, mesmo em locais onde este equipamento de proteção foi liberado, e a higienização permanente das mãos”, diz o HU. Em dezembro a ala de Covid da UTI foi desmobilizada por conta da então diminuição de casos graves.

    Publicidade