Ameaça de paralisação de caminhoneiros faz justiça proibir bloqueio de estradas

A nova paralisação dos caminhoneiros prevista para esta segunda-feira (1º/11) promete ter aderência de parte da categoria em diversos estados. Diante da nova ameaça de desabastecimento e prejuízos provocados pela greve, a justiça federal em Santa Catarina proibiu o bloqueio de rodovias.

A decisão em SC é válida para todas as rodovias federais, mas deve se estender para as outras rodovias, como nas últimas paralisações, para evitar maiores transtornos.

Segundo o ministério de Infraestrutura, há decisões judiciais que impedem os bloqueios de estradas, portos e refinarias em ao menos 17 estados. Na Grande Florianópolis, na última manifestação, os caminhoneiros deliberadamente bloquearam a base de distribuição de combustíveis em Biguaçu, de modo a fazer faltar gasolina o mais rapidamente possível na região.

Publicidade

Novamente as decisões judiciais tratam da possibilidade de multas aqueles que fizerem bloqueios e autorizam o uso da força para liberação das estradas, o que jamais ocorreu nas greves de caminhoneiros. Em SC, a decisão do juiz Ivo Luiz da Silva Scheffer, de sexta-feira (29), prevê multa de R$ 5 mil para os participantes e R$ 100 mil para empresas que apoiarem ou derem alguma forma de suporte aos bloqueios.

As manifestações foram convocadas, dessa vez, por entidades da categoria – a Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores (Abrava) e a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transporte e Logística (CNTTL) – para pedir redução no preço do diesel e tabelamento dos fretes.

Por Lucas Cervenka – reportagem@correiosc.com.br

Publicidade