bandeira do flamengo à meio mastro em frente a uma estátua de um urubu
Um incêndio no centro de treinamento do Flamengo, na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro, deixou dez mortos - Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Todos sabem da paixão deste colunista pelo clube rubro-negro. Mas tenho que admitir que o Flamengo e seus dirigentes são os responsáveis pela tragédia no CT Ninho do Urubu, no Rio de Janeiro, que ceifou a vida de forma trágica de dez adolescentes que sonhavam em ser jogador de futebol. A tragédia no CT do Flamengo acende uma luz aos pais na hora de mandarem seus filhos para lugares desconhecidos. O trágico acidente ocorreu num grande clube. Imaginem o que deve acontecer em clubes menores.

Não deixe nada para o amanhã

O início de 2019 não é nada fácil para nós brasileiros. A gente nem bem tem tempo de se recuperar de um desastre e já temos que suportar outras tragédias. Primeiro foi na cidade de Brumadinho, Minas Gerais, que por culpa da ganancia do homem causou centenas de mortes. No Rio de Janeiro, as chuvas fortes provocaram mortes e estragos, e dois dias depois dez jovens perdiam a vida num incêndio no CT do Flamengo. E na segunda-feira, 11 de feveeiro, o Brasil chorava a perda do jornalista Ricardo Boechat num acidente aéreo. Portanto, fale o que está em seu coração, abrace as pessoas que você ama, e não deixe nada para o amanhã.

Queda vertiginosa

Campeão catarinense com 12 títulos, participação na Série A do brasileirão, um dos clubes mais conhecido de Santa Catarina, o Joinville Esporte Clube (JEC) vive um péssimo momento na sua história. O prestígio que este clube possuía está em queda vertiginosa há algum tempo. São rebaixamentos humilhantes no cenário nacional e sem conquista de um estadual, a última façanha foi ser eliminado da Copa do Brasil pelo modesto Atlético/CE, do Ceará. Depois que perdeu o patrocínio da Tigre, o Joinville parece que não achou mais o rumo.

Time predestinado
Publicidade

Até o fechamento desta edição alguns clubes ainda não haviam entrado em campo pela Copa do Brasil. E isso me levou a Junho de 1991, naquela grande decisão em que o Criciúma passou a ser reconhecido no mundo do futebol. Aquele time, diferente dos dias de hoje, tinha alma, garra e coração. Aquele foi um elenco predestinado e que jogava por música quando revelou Felipão como treinador. Há 27 anos, um grupo de jogadores que não usava salto alto, conquistava a Copa do Brasil em cima do poderoso Grêmio.

Cotas distintas

A Copa do Brasil é sem dúvidas a competição mais democrática do país. A CBF resolveu aumentar os valores das cotas de premiação e o campeão poderá embolsar até R$ 70 milhões, um pouco mais que o atual campeão Cruzeiro recebeu em 2018 – R$ 60 milhões. Nesta primeira fase em cotas distintas, os nossos clubes ficaram assim: a Chapecoense vai receber R$ 1.050 milhão, o Avaí R$ 920 mil. Já o Figueirense, Criciúma, Tubarão e Brusque irão embolsar R$ 525 mil. Um bom dinheiro em época de crise.

Transporte público

Quem depende do transporte público todos os dias em nossa cidade sabe muito bem que a situação não é nada boa. Andar de ônibus por aqui – Grande Florianópolis – nem sempre é fácil e eu já comprovei isso pessoalmente. O que era pra ser uma prestação de serviço de qualidade que assegure o direito de ir e vir da população, isso é só na teoria, porque na prática deixa muito a desejar. Tarifas caras, ônibus sem confortos, atrasos em horários e a falta de linhas, são as maiores reclamações daqueles que necessitam deste importante serviço.

Drops da arquibancada

O futebol brasileiro protagonizou mais um vexame. Desta vez foram os “meninos” da seleção brasileira sub-20 no Chile. O Brasil nada fez de bom nesta competição e termina de forma ridícula fora da classificação para o mundial, pela segunda vez.

Será neste domingo , 17 de fevereiro, a partir da 10hs no estádio Renato Silveira, em Palhoça, um grande encontro de ex-jogadores e convidados. O jogo será em homenagem aos 91 anos do SERC Guarani e os 30 anos do Palavra Palhocense. No jogo Amigos do Guarani x Amigos do Palhocense terá a presença de grandes nomes do nosso futebol e a arbitragem deste colunista.

Ainda é cedo mas já dá pra imaginar uma grande final de campeonato catarinense envolvendo Figueirense, Chapecoense e Avaí. Dois desses três devem fazer a final.

Um momento de tristeza para o torcedor alvinegro ocorreu em 2007, em pleno Orlando Scarpelli, quando o Figueirense deixou escapar a conquista da Copa do Brasil. Seria o maior título de um clube de Florianópolis a nível nacional.

Quando a idade está chegando, não tem jeito. Prestes a pendurar as chuteiras, Marquinhos Santos irá para o seu penúltimo jogo defendendo o Avaí diante do Brusque na Ressacada, neste próximo domingo. Esse será o 399 jogo com camisa do Leão da Ilha.

Cartão rosa/vermelho

Cartão rosa para o prefeito Camilo Martins, que está impetrando na Justiça uma ação contra a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e a Arteris, concessionária da BR 101, pedindo o bloqueio de toda a receita do pedágio e explicações sobre o contorno. Essa lentidão nas obras do contorno viário da Grande Florianópolis demonstra a incapacidade da ANTT e da Arteri,s que não estão nem aí pra nós.

Cartão vermelho para a Celesc, que continua nos enviando a conta de energia com valores muito além da média ao longo do ano. Eles alegam que o forte calor fez com que o consumo crescese além do normal. Mas já tem casos comprovados de residências que pagavam até R$ 106 reais, receberam contas com valores de R$ de 24 mil a 34 mil. Pura sacanagem.

Pensamento do Bambi

Tá difícil de dormir. Se não ligo o ar não durmo por causa do calor. Se ligo, não consigo pegar no sono pensando na conta da Celesc.

Publicidade
COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here